Por pbagora.com.br

Nesta quinta-feira (27), a Câmara Criminal do 2º Tribunal do Júri, em João Pessoa, decidiu por unanimidade que Marvin Henriques Correia, acusado de ser cúmplice da chacina da família brasileira em Pioz na Espanha, deve aguardar o julgamento na prisão.

De acordo com o voto do relator substituto do processo, juiz Tércio Chaves de Moura, a mudança na situação de Marvin se deve a uma suposta tentativa de violação da tornozeleira eletrônica, que o acusado usa desde 2016, quando passou a responder o processo em liberdade, cumprindo medidas cautelares.

Diante da decisão, o advogado de Marvin se disse surpreso e alegou que não há nenhum fato concreto que justifique a mudança no estado do processo, mesmo constando nos autos do processo uma informação do Centro de Movimentação Eletrônica de que Marvin tentou cortar a cinta da tornozeleira eletrônica, sendo determinada uma realização de perícia para averiguar se houve violação proposital do equipamento ou desgaste natural. A perícia ainda não foi feita.

O mandado de prisão deve sair ainda nesta quinta-feira e Marvin deve passar por audiência de custódia.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Polícia Civil investiga furto de fios de cabo de Internet em CG

A Polícia Civil está investigando o furto de 60 metros de cabo de cobre em Campina Grande que deixaram 200 casas sem internet na cidade. O furto aconteceu no bairro…

Homem é baleado na mão e na perna no bairro dos Ipês

Nesta quinta-feira (21), um jovem de 21 anos ficou ferido depois de ser baleado nesta  no Bairro dos Ipês, em João Pessoa. Segundo as informações da Polícia Militar (PM) ele foi…