A mulher presa na tarde de anteontem (19) suspeita de matar o marido a facadas, no bairro Três Irmãs, em Campina Grande, no Agreste paraibano, irá responder pelo crime por prisão domiciliar. Ela passou por audiência de custódia na tarde de ontem (20), no Fórum Afonso Campos.

Durante a audiência de custódia a justiça alegou que a mulher tem filhos menores de 12 anos e que, com base na orientação do Supremo Tribunal Federal (STF), presas sem condenação, gestantes e mães de filhos de até 12 anos devem receber o direito à prisão domiciliar. A medida vale desde 2018.

O crime aconteceu após a esposa ter conversado com a mãe dos filhos da vítima para buscar as crianças na residência do casal. “Escute. Quando for umas 5h30 ou 6h, você vem buscar os meninos porque eu acho que mais ou menos daqui para 7 horas eu vou descer para o presídio, tá ligado? Que a polícia vai me buscar, porque eu vou matar ‘Do’ agora. Vou matar ele hoje, para aprender para não tirar onda com minha cara e não me trair, não fazer pilantragem”, disse ela no áudio.

O homem assassinado foi identificado inicialmente como Joselito dos Santos Soares. A mulher foi capturada ainda em casa. Veja mais!

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Bandidos invadem supermercado nos Bancários e levam apenas desodorantes

Na madrugada desta terça-feira (18), o supermercado Todo Dia do bairro dos Bancários foi alvo da ação de bandidos. No roubo os criminosos entraram no estabelecimento através de uma porta…

PC encontra corpo com pés e mãos amarradas no bairro João Agripino, em JP

A polícia encontrou na noite de ontem (18), o corpo de um homem, com os pés e mãos amarradas, no bairro João Agripino, em João Pessoa. Segundo dados iniciais, a…