O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB/PB), questionou em entrevista a uma emissora da Capital, a decisão do prefeito Romero Rodrigues (PSD}, de transferir o São João de Campina Grande, de junho para o mês de outubro. Ele considera necessária a mudança da data da festa, devido a preocupação, com a pandemia do coronavírus, mas avaliou outubro, uma data inadequada, devido o choque com o calendário eleitoral.

A preocupação do senador é que o São João em outubro pode ser instrumento de autopromoção eleitoral”. Ele sugeriu que o Ministério Público Eleitoral e o Tribunal Regional Eleitoral questionem ao prefeito campinense, sobre a nova data proposta para a realização do “Maior São João do Mundo, exatamente entre o primeiro e o segundo turno das eleições municipais.

Embora o senador reconheça que não há condições de realizar o evento em junho, devido à pandemia de Coronavírus, ele avalia que mesmo com Romero fora da disputa como candidato, e sim como apoiador de um nome indicado por ele, a realização da festa pode ser, de acordo com o senador, instrumento de autopromoção eleitoral.

“Ele [Romero] o fez com o único e exclusivo propósito de auto beneficiar-se da realização do evento, quando o calendário prevê segundo turno em Campina Grande ou nas cidades que tenham mais de 200 mil habitantes. Ou seja, é agir mais uma vez desconhecendo aquilo que deveria ser a prioridade nas preocupações nossas, fazendo, com o uso da caneta aquilo que possa beneficiá-lo indiretamente”, disse Veneziano.

Essa semana, presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), desembargador José Ricardo Porto, afirmou que até o momento não há qualquer possibilidade de haver o cancelamento das eleições de outubro.
– Eu não vejo, até agora, qualquer possibilidade de haver o cancelamento das eleições de outubro. Nós ainda estamos no período de avaliação da propagação e da intensidade do Covid-19. Inclusive, o TSE, a pouco dias, informou de que os prazos eleitorais, notadamente no que diz respeito à transferência de eleitores, não estão suspensos. O que é que nos podemos alcançar dessa deliberação do TSE é que com os prazos não suspensos já há uma sinalização clara, evidente e palpável do não adiamento das eleições. Mas faço aqui um parêntese: tudo isso vai depender de como a proliferação e a intensidade do vírus estarão no período eleitoral. Por enquanto, posso lhe dizer que não existe a possibilidade evidente e palpável de qualquer tipo de deslocamento da data das eleições municipais – destacou.

SL
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Empresa de transporte coletivo e JP confirma demissão em massa

O empresário Antônio Cândido, proprietário da empresa Transnacional confirmou, em programa de rádio nesta sexta-feira (3), centenas de demissões no quadro de colaboradores da empresa. De acordo com o empresário,…

Ação da polícia prende acusado de homicídio em Patos, nesta 6ª

A Polícia Militar capturou, na manhã desta sexta-feira (3), um homem acusado de crime de homicídio. A ação aconteceu no município de Patos, no sertão do estado. A prisão foi…