Por pbagora.com.br

O Tribunal Regional Eleitoral negou na tarde desta segunda-feira (05) recurso contra expedição do diploma do prefeito de Bayeux Jota Júnior, do PMDB e do vice Domiciano Cabral e manteve os dois políticos no cargo até o julgamento final.

A rejeição do recurso contra expedição do diploma teve votação unânime e todos os magistrados presentes optaram pela permanecia de Jota Júnior no cargo até o desfecho do processo.

Jota Júnior é acusado por abuso de poder econômico com o oferecimento de brindes, entrega irregular de cheques e oferecimento de cargos comissionados e ainda por utilização de símbolos pessoais por funcionários públicos.
Na ação, os advogados de acusação pediam que o prefeito fosse cassado antes da Ação de Investigação eleitoral fosse julgada, no entanto, os argumentos utilizados pela acusação não foram suficientes para que a juíza Niliane Meira acatasse o recurso.

No entendimento da magistrada, não havia provas suficientes para incriminar o réu por abuso de poder.
 

Notícias relacionadas

OPINIÃO: A dimensão política e apartidária do Evangelho

A Bíblia, como sabemos, é um livro primordialmente religioso. Porém, não é apenas um livro religioso. A Bíblia apresenta uma dimensão política. Desde Gênesis é possível encontrar orientações acerca da…

Chuvas causam queda de barreira e diminuição da frota de ônibus, em JP

As fortes chuvas que caem desde a madrugada em João Pessoa nesta quinta-feira, dia 13, tem causado transtornos para quem precisa se locomover, seja de carro ou de ônibus. Por…