Nesta quarta-feira, 28, a Secretaria de Saúde estendeu a vacinação do sarampo de crianças de seis a onze meses de vida para todos os Centros de Saúde da cidade. Inicialmente, a vacina para esse público estava sendo aplicada apenas nas unidades do Centro e do Catolé. A partir de Agora, passam a oferecer também os Centros de Saúde da Liberdade, Palmeira, Bela Vista, São José da Mata e Galante e as Policlínicas do José Pinheiro e das Malvinas.

Além dessa ampliação da oferta da vacina, a Secretaria também está promovendo a capacitação dos seus profissionais. Nesta quarta, a médica pediatra especialista em imunização e membro da Sociedade Brasileira de Pediatria, Socorro Martins(foto), levou orientações para os pediatras, neonatologistas, enfermeiros, médicos e assistentes sociais da Estratégia de Saúde da Família e professores de instituições de ensino em saúde da cidade.

“Criança alérgica a ovo pode tomar a vacina? Sim, pode! Criança que nasceu prematura, a idade para aplica a vacina conta da data de nascimento ou diminuindo os meses que deveriam ser de gestação? Conta a partir da data de nascimento. Foram dúvidas desse tipo que nós tiramos aqui”, explicou a médica.

Além da vacina para crianças de seis a onze meses, que é chamada de dose zero, as crianças precisam ser imunizadas normalmente conforme o esquema vacinal para a doença. Ou seja, é necessário aplicar a primeira dose da vacina tríplice viral aos doze meses de vida e a segunda dose aos quinze meses, 1 ano e 1 ano e três meses, respectivamente. A tríplice viral protege do sarampo, da caxumba e da rubéola. Para essas doses do esquema vacinal de rotina, os pais podem procurar qualquer Unidade Básica de Saúde da cidade.

As crianças com mais de onze meses que tomarem a chamada dose zero devem aguardar completar 30 dias para poder tomar a dose 1 do esquema vacinal normal de rotina. Ou seja, elas não recebem a injeção assim que completarem 12 meses, mas assim que completar 30 dias da dose zero.

Os adolescentes e adultos até 29 anos que não tomaram a vacina tríplice viral no tempo adequado, podem tomar duas doses no intervalo de trinta dias. Os adultos entre 30 e 49 anos têm direito a tomar uma dose, caso nunca tenham tomado nenhuma dose anteriormente. As pessoas a partir dos 50 anos de idade não têm recomendação para receber a aplicação da vacina. Os trabalhadores em saúde têm acesso à imunização a qualquer tempo.

 

Codecom

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Projeto obriga bares a auxiliar mulheres em situação de risco

A Comissão de Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou, durante reunião nesta quarta-feira (18), por unanimidade, o projeto 303/2019, de autoria do presidente da Casa, Adriano…

Água: em reunião com João, ministro descarta racionamento em CG

Durante reunião com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, o governador João Azevêdo (PSB) recebeu a confirmação de que não deverá mais haver racionamento de água na cidade de…