Por pbagora.com.br

A morte de Pinto do Acordeon, ocorrida na madrugada desta terça-feira (21) gerou comoção no meio político e cultural.

O cantor e músico paraibano faleceu aos 72 anos vítima de câncer.

Além de músico, Pinto do Acordeon foi vereador de João Pessoa, em mandato que durou de 1993 a 1997.

Confira as notas:

Wilson Filho

NOTA DE PESAR

O deputado estadual Wilson Filho (PTB) lamenta o falecimento do cantor, compositor e acordeonista paraibano Pinto do Acordeon.

“2020 tem sido um ano difícil, de perdas insubstituíveis. Pinto do Acordeon deixa um legado de fortalecimento da cultura e do orgulho de ser nordestino, de ser paraibano. Fará muita falta. Deixo minha solidariedade à esposa, filhos e amigos”, comentou o parlamentar.

Pinto do Acordeon tinha 72 anos e lutava contra um câncer. O seu falecimento ocorreu no estado de São Paulo, onde se tratava da doença. Ele era natural de Conceição e foi vereador de João Pessoa entre 1993 e 1996.

Wilson Santiago

NOTA DE PESAR

O deputado Wilson Santiago (PTB) vem a público manifestar o mais profundo pesar pelo falecimento do músico paraibano Pinto do Acordeon.

Ele ressalta a importância de Pinto para o fortalecimento da cultura paraibana e nordestina no Brasil e lamenta a lacuna que será deixada pelo cantor, compositor e exímio acordeonista.

Natural de Conceição, no Sertão, Pinto do Acordeon tinha 70 anos e, dentre suas contribuições para a sociedade paraibana, está um mandato como vereador de João Pessoa, entre 1993 e 1996.

ALPB

O presidente Adriano Galdino, em nome de todos os deputados e servidores da Assembleia Legislativa da Paraíba, vem a público lamentar o falecimento do cantor e compositor paraibano Pinto do Acordeon, aos 72 anos. Ele morreu na madrugada desta terça (21). em São Paulo, onde se encontrava desde janeiro para tratamento de um câncer da bexiga.

Francisco Ferreira Lima nasceu no município de Conceição, no Vale do Piancó paraibano, mas se mudou para Patos na década de 60. Pinto teve suas músicas gravadas por diversos artistas, como Dominguinhos, Elba Ramalho, Fagner e Genival Lacerda. Entre seus grandes sucessos está a música “Neném mulher”, tema da novela Tieta, da Rede Globo.

Em 2019, a ALPB aprovou o projeto de lei 11.399, de autoria do deputado Wallber Virgolino, que reconhecia a importância do músico e solicitava que suas obras fossem consideradas Patrimônio Cultural do Estado. A iniciativa foi sancionada pelo governador João Azevedo em 12 de julho do ano passado.

“Além de uma carreira consolidada como músico, Pinto do Acordeon também realizou um grande trabalho como vereador. É uma grande perda grande para a Paraíba, para o Nordeste e para o Brasil, sem sombra de dúvidas”, lamentou Adriano Galdino.

Veneziano Vital do Rêgo

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) lamentou, na manhã desta terça-feira (21), o falecimento do músico Pinto do Acordeon. Cantor e compositor, ele deixa um legado na cultura nordestina e na história da música popular.

“Eu, como todos os paraibanos que tiveram a oportunidade de conhecer e acompanhar a carreira de Pinto do Acordeon, encantando-se e divertindo-se com as belíssimas e genuínas composições da nossa cultura nordestina, a gente amanhece com o coração ainda mais esvaziado. O falecimento de Pinto vai ser sentido demais, pois ele foi um dos ícones da musicalidade paraibana no mundo. Então a gente fica a lamentar”, afirmou Veneziano, por meio das suas redes sociais.

Pinto do Acordeon morreu na madrugada desta terça-feira (21), em São Paulo, onde lutava contra um câncer na bexiga. Dono de uma trajetória artística de sucesso e de absoluta importância para a cultura paraibana e nordestina, sua carreira o levou ao patamar de um dos maiores ícones do forró regional.

Pinto do Acordeon era natural de Conceição, no Vale do Piancó. Em 1976, gravou o primeiro LP, deixando o legado de 20 álbuns gravados, já tendo composto músicas para Elba Ramalho, Genival Lacerda, Dominguinhos, Fagner, Os 3 do Nordeste e Trio Nordestino. Também exerceu o mandato de vereador pela cidade João Pessoa entre os anos de 1993 e 1997.

Luciano Cartaxo

Nota de pesar

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, lamentou, na manhã desta terça-feira (21), o falecimento de Pinto do Acordeon. Cantor, compositor e ex-vereador, ele deixa um legado na cultura nordestina e na história da música popular popular. Ele foi companheiro de Luciano Cartaxo na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) e foi o grande homenageado da edicão de 2014 do São João Pra Valer, realizado pela atual gestão da Prefeitura de João Pessoa.

“Foi com muito pesar que recebi a notícia do falecimento de Pinto do Acordeon. A Paraíba perde um de seus maiores nomes, uma referência em cultura nordestina e na nossa música. Ele era um artista nato, dono de um talento como poucos. Tive a oportunidade de ser seu companheiro na Câmara Municipal e muito me orgulhou poder homenageá-lo no nosso São João. Que Deus o receba de braços abertos e que sua família, amigos, fãs e admiradores tenham a força para superar o momento. Pinto do Acorden se vai, mais deixa uma história que jamais será apagada de nossas lembranças”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

Pinto do Acordeon morreu na madrugada desta terça-feira (21), em São Paulo, onde lutava contra um câncer na bexiga. Dono de uma trajetória artistica de sucesso e de absoluta importância para a cultura do nosso Estado, sua carreira o levou ao patamar de um dos maiores ícones do forró nordestino.

Pinto do Acordeon era natural de Conceição, no Vale do Piancó. Em 1976 gravou o primeiro LP, deixando o legado de 20 álbuns gravados, já tendo composto músicas para Elba Ramalho, Genival Lacerda, Dominguinhos, Fagner, Os 3 do Nordeste e Trio Nordestino. Também exerceu o mandato de vereador pela cidade João Pessoa entre os anos de 1993 e 1997.

Romero Rodrigues 

Romero lamenta a morte de Pinto do Acordeon e destaca essência cultural da obra do cantor e compositor paraibano
O prefeito Romero Rodrigues lamentou, profundamente, a morte do cantor e compositor Francisco Ferreira de Lima, 72, o Pinto do Acordeon, na madrugada desta terça-feira, 21. Pinto, que vinha com a saúde debilitada há vários meses, faleceu vitima de câncer em São Paulo (SP).
Romero Rodrigues destaca que Pinto do Acordeon foi um artista que sempre teve um compromisso inarredável com a cultura de sua terra. Natural de Conceição, no Sertão da Paraíba, o músico desde a infância cultivava seu gosto pela poesia regional e foi um dos integrantes da banda de Luiz Gonzaga, o “Rei do Baião”, sua eterna referência.
Lembrando que, durante muitos anos, Pinto do Acordeon integrou o rol dos artistas que se apresentaram no Parque do Povo, o prefeito campinense assegura que a cidade guardará com muito carinho e saudade a memória de seus shows de forró e baião marcados pela autenticidade e qualidade.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Desfile de 7 de setembro é cancelado em Campina Grande por conta da pandemia da covid-19

Depois de cancelar o Maior São João do Mundo por conta da pandemia do novo coronavírus, a Prefeitura de Campina Grande decidiu cancelar o desfile civico-militar que aconteceria na cidade…

MP manda Câmara de Santa Rita homologar concurso público realizado em 2019

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) recomendou ao presidente da Câmara Municipal de Santa Rita, o vereador Anésio Alves de Miranda Filho, que homologue, imediatamente, o concurso público realizado em…