Por pbagora.com.br

 A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) deu o ponta pé inicial para a implantação do Parque Tecnológico da Capital, na manhã dessa terça-feira (27) com a realização do Fórum de Tecnologia (Forumtec), que discute até a quarta-feira (28), na Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, os caminhos para construir um equipamento que alie atividades com potencial competitivo, pesquisa científica e inovação tecnológica na cidade.

 

O primeiro passo nessa direção, será dado com a criação do Conselho Municipal de Ciência e Tecnologia e a inserção do projeto no Programa Cidades Emergentes e Sustentáveis, que conta com o financiamento do Banco Interamericano para o Desenvolvimento (BID).

 

A ação, de iniciativa da Secretaria de Ciência e Tecnologia (Secitec), reuniu estudantes, professores, empresários e profissionais para discutir a construção do projeto. A secretária da Secitec, Marly Lúcio, destacou o momento que a Prefeitura insere esse tema na pauta de discussões e conclamou a sociedade civil e as organizações a se unirem em prol de um projeto de desenvolvimento econômico e social para a Capital.

 

“A Prefeitura de João Pessoa não poderia se furtar a esse debate. Por orientação e entendimento do prefeito Luciano Cartaxo, o município insere esse projeto como um projeto de governo. O Parque Tecnológico é uma das ações dentro do Programa Cidades Emergentes e Sustentáveis, do BID, tornando-se uma realidade na administração. Nós queremos agora formar uma rede, com a colaboração das mais diversas organizações, para implantarmos essa ação de forma conjunta em nossa cidade”, afirmou.

 

Conselho Municipal – A secretária também falou sobre a criação do Conselho Municipal de Ciência e Tecnologia, que nos próximos dias será implantado pelo prefeito, como um instrumento de participação e direcionamento de políticas públicas na área.

 

“Temos a compreensão que a Prefeitura não será ‘dona’ de um Parque. Não é essa nossa pretensão. Um Parque Tecnológico é um instrumento que envolve várias instituições e entidades, entre elas, a Prefeitura. Sabemos também que precisamos somar esforços ao Parque Tecnológico da Paraíba, sediado em Campina Grande. Não queremos concorrer. Queremos integrar”, frisou.

 

Entre as autoridades presentes, estiveram na solenidade o secretário Municipal de Planejamento, Rômulo Polari, o diretor de Ações Estratégicas da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba, Juan Carlos, o diretor do Centro de Informática da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Guido Lemos, além de professores e pesquisadores universitários e representantes de entidades de classe, a exemplo da Sucesu.

 

Ambientes regionais de inovação – O secretário de Ciência e Tecnologia do Estado de Alagoas, Eduardo Setton e a gerente de Inovação e Tecnologia do Sebrae, Gláucia Zoldan, realizaram palestras com o tema Casos de Sucesso de Ambientes Regionais de Inovação Tecnológica.

 

Segundo Eduardo Setton, o primeiro passo para se obter sucesso na implantação de um parque tecnológico é uma participação ampla em várias esferas como governo, mercado, academia e sociedade civil. “Esses parceiros precisam estar afinados, mas além do engajamento dos atores envolvidos, o planejamento é primordial para que as ações sejam de fato implantadas e executadas para que possam levar benefícios à sua população”, declarou.

 

De acordo com Gláucia Zoldan, é fundamental a participação do poder público, pois isso, pode determinar o comprometimento para com o desenvolvimento econômico e tecnológico da gestão. “Eu acompanho o desenvolvimento de parques tecnológicos que dependem exclusivamente da vontade e das ações do poder privado e observo que apesar de todo engajamento, essas empresas esbarram em arestas e gargalos que só o poder público pode resolver. É muito bom ver ações como essa em que o governo toma essa iniciativa”, comemorou.

 

Quarta-feira – A programação do segundo dia do evento segue a partir das 9h, com palestras com a presença de nomes como o diretor-presidente do BHTec, Ronaldo Tadeu Pena (BH); do diretor Executivo da Fundação CERTI, Leonardo Carioni (SC); e do diretor executivo do Porto Digital Leonardo Guimarães (PE), todos palestrantes que já possuem experiência em implantação de parques tecnológicos no Brasil.

 

Logo após, haverá a divisão das discussões em três grupos: Mercados e Serviços, Financiamento e Governança e Academia e Parceiros.

 

Programação:

 

Mesa Redonda – Casos de Sucesso de Ambientes Regionais de Inovação Tecnológica

 

9h00 – Dr. Francisco Saboya, diretor do Porto Digital de Recife/ PE

 

9h30 – Dr. Ronaldo Tadeu Pena, diretor-presidente BH Tech e a Rede Mineira de Inovação

 

10h00 – Dr. Leandro Carioni, diretor executivo Fundação CERTI, Centro de Empreendimentos Inovadores (CEI)

 

11h00 – Intervalo, Brunch

 

11h15 – Discussão em Grupos de Trabalho por temas (continuação para o segundo tema)

 

Mercado & Serviços – Este grupo discute os segmentos que deverão ser atendidos pelo Parque Tecnológico de João Pessoa e quais os serviços que este Parque deve fornecer a sociedade para efetivamente contribuir para o desenvolvimento local;

 

Financiamento & Governança – Este grupo discute como Parque Tecnológico de João Pessoa deverá obter sua sustentabilidade econômica e financeira, além de refletir sobre como será o modelo operacional e de governança da organização;

 

Academia & Parceiros – Este grupo discute a importância da academia e a participação de parceiros para o sucesso do Parque Tecnológico de João Pessoa.

Redação

Notícias relacionadas

Tribunal de Contas da Paraíba rejeita contas de Cabedelo na gestão de Leto Viana e Vitor Hugo

O Pleno do Tribunal de Contas do Estado rejeitou nesta quarta-feira (21) as contas de 2018 do município de Cabedelo, sob a responsabilidade dos prefeitos Leto Viana (01/01 a 03/04/2018)…

Wilson Filho apoia proposta que determina piso nacional para enfermeiros

O deputado estadual Wilson Filho (PTB) declarou apoio ao projeto de Lei 2.564/2020 que está em tramitação no Senado e propõe um piso salarial para enfermeiros, técnicos, auxiliares de enfermagem…