Por pbagora.com.br

O Ministério Público da Paraíba e a Universidade Federal de Alagoas firmaram uma parceria que resultou na criação de uma ferramenta para auxiliar na investigação de condutas de candidatos, nessas eleições municipais. O Monitora77, nesta primeira versão, recupera informações de perfis-alvos na rede social Instagram, com o objetivo de preservação da cadeia de custódia da prova digital, ou seja, possibilita documentar procedimentos, identificando e coletando os atos e sua origem para análise dos promotores eleitorais, mesmo se houve descarte eventual das evidências. A ferramenta foi apresentada pelo MPPB e Ufal a membros do Ministério Público Eleitoral, nesta terça-feira (10/11), em evento virtual.

A reunião de apresentação foi conduzida pelo secretário de Planejamento e Gestão, o promotor de Justiça Leonardo Quintans, e pela promotora de Justiça Dulcerita Alves, que integra o MPE, em João Pessoa. A ferramenta foi apresentada pelos professores Krerley Oliveira (Ufal) e Adriano Barbosa (UFGD). O Monitora77 foi desenvolvido pelos estudantes José Augusto é da engenharia da computação e Maurício Maciel, sob a orientação dos professores. Promotores eleitorais que participaram da reunião ficaram entusiasmados por ter mais essa ferramenta para auxiliar na instauração de procedimentos e o grupo já discutiu sua ampliação, tanto no eleitoral, quanto em outras áreas.

Leonardo Quintans agradeceu ao professor Krerley e a toda a equipe da Ufal pela disponibilidade e competência no desenvolvimento da ferramenta, destacando a contribuição da universidade como uma instituição importante não só no ensino, mas também na pesquisa e extensão, que tem como foco a transformação da sociedade, que é também o objetivo do Ministério Público. Ele também agradeceu a promotora Dulcerita, ressaltando que a parceria nasceu de sua inquietação frente ao trabalho desenvolvido no MPE, e aos demais promotores que dispuseram de seu tempo para conhecer a ferramenta. Quintans também informou que a gravação da reunião poderia ser disponibilizada aos demais, cujas agendas impediram a participação na videoconferência.

A promotora eleitoral, Dulcerita Alves, falou da sua satisfação em conhecer o professor Krerley e mais ainda de ele ter atendido tão prontamente à sua expectativa, em um tempo recorde, possibilitando que a ferramenta já possa ser usada neste primeiro turno das eleições, com a possibilidade de recuperar informações de períodos anteriores. Ela destacou o fato de estudantes de uma universidade pública estarem comprometidos com o trabalho do Ministério Público, nestas eleições. Como atua na área da violência doméstica em João Pessoa, a promotora já iniciou os primeiros contatos no sentido de aprofundar a parceria com a Ufal para também poder usar a ferramenta na investigação de violência contra mulheres, praticadas no ambiente online.

O professor Krerley Oliveira agradeceu a oportunidade de poder contribuir com o Ministério Público para dar uma resposta à sociedade, neste momento, ressaltando que esse foi o primeiro passo de uma parceria que pode render outros frutos. Ele passou a palavra ao professor Adriano Barbosa, que também agradeceu a oportunidade de trabalhar no projeto e apresentou o funcionamento da ferramenta aos promotores eleitorais.

Os detalhes de funcionamento do Monitora77 não serão disponibilizados ao público para evitar eventual burla dos resultados obtidos, que, se forem explorados e analisados em investigações, podem resultar em informações necessárias para ajuizamento de ações eleitorais. O nome da ferramenta é alusivo ao ato do monitoramento que se propõe a fazer e ao número da última zona eleitoral da Paraíba.

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

CG: MPPB e MPF recomendam revogação de artigo de decreto que libera eventos

O Ministério Público, através dos seus ramos Federal (MPF) e do Estado (MPPB), expediu recomendação, nessa quarta-feira (25/11), ao Município de Campina Grande para que , seja revogado o artigo…

Em debate, Nilvan reforça retomada da economia e programa vale gás em JP

O candidato a prefeito de João Pessoa, Nilvan Ferreira disse que a pandemia causada pela covid-19 aumentou as desigualdades sociais, por isso é fundamental que nesse momento sejam realizadas ações…