Por pbagora.com.br

Uma legislação para proteger as mulheres, e coibir a violência Nesta sexta-feira (7), completam-se 14 anos desde que foi instituída a Lei Maria da Penha sancionada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Com a pandemia da covid-19, as denúncias de violência contra as mulheres – recebidas pelo número 180 – cresceram significativamente desde março, segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Mesmo com o advento da lei, os números ainda são preocupantes. Na Paraíba, mais de cinco mil medidas protetivas estão ativas para proteger mulheres de agressores, de acordo com o Tribunal de Justiça (TJPB).

A juíza Graziela Queiroga, coordenadora da mulher em situação de violência do TJPB, disse que a lei ainda é “adolescente” e acarreta ainda muitos desafios.

Só primeiro semestre, em plena pandemia do Covid-19, , foram solicitadas 760 medidas de forma presencial e 258 de modo online, por meio da delegacia online da Polícia Civil, um total de 1.018 medidas protetivas solicitadas de janeiro a junho de 2020.

Foram instaurados ainda 757 procedimentos de investigação com relação à violência contra a mulher nos primeiros seis meses de 2020, e 409 boletins registrados de forma online.

Só em João Pessoa, pelo menos 911 casos de violência contra a mulher foram registrados no primeiro semestre de 2020. Janeiro foi o mês com o maior número de registros, com 226 ocorrências notificadas. Já maio teve o menor número de registros, com 104 casos. As notificações voltaram a subir em junho, com 133 ocorrências.

Os números são relembrados principalmente porque, nesta sexta-feira (7), a Lei Maria da Penha, criada para coibir a violência domésticas e familiar contra a mulher, completa 14 anos de existência. A lei esclarece os tipos de violência e cria juizados especiais de violência doméstica, alterando também o Código Penal e a Lei de Execução Penal.
A violência doméstica e familiar é a principal causa de feminicídio não só no Brasil, mas em todo o mundo. Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), 17,8% das mulheres do mundo sofreram algum tipo de violência física ou sexual no ano de 2019. Isso significa que quase uma a cada cinco mulheres em todo o planeta foi vítima deste tipo de crime, no ano passado.

SL
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Apesar da pressão de RC, PSB Nacional rejeita aliança com PT em JP

A decisão do PT nacional de intervir na eleição à Prefeitura de João Pessoa e determinar ontem a retirada da candidatura do petista Anísio Maia para apoiar o ex-governador Ricardo…

43 policiais rodoviários federais da PB fizeram escolta de Bolsonaro durante visita a Coremas

A escolta presidencial foi realizada no sertão do estado para garantir o deslocamento seguro do Presidente da República, que esteve na Paraíba para a inauguração de Usina Fotovoltaica no município…