O juiz José Célio de Lacerda, da 7ª Vara Cível da Capital, negou pedido de liminar formulado por um aluno do curso de medicina para reduzir em 30% as mensalidades. Alegou a parte autora que, em face da epidemia do novo coronavírus (Covid-19), as atividades desempenhadas por seus pais sofreram queda brusca de arrecadação, o que comprometerá a continuidade dos pagamentos das mensalidades.

Analisando o caso, o juiz considerou que estavam ausentes os requisitos necessários à concessão da liminar almejada. “Isto porque alega a parte autora que houve uma queda de receita em relação às atividades empresariais de seus pais, qual seja, agência de turismo, o que comprometeria a continuidade do pagamento das mensalidades do curso em questão. Ocorre que não há qualquer comprovação do alegado, atinente a demonstração nas quedas de receita da empresa, além de que não há comprovação de quem, de fato, é o responsável pelo pagamento das mensalidades”, pontuou.

Cabe recurso da decisão.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: A Covid-19 quase me derrubou, mas ao “despertar” vi Bolsonaro mais frágil e agressivo

Está em Gênesis, que discorre sobre O Princípio. “ No princípio Deus criou os céus e a terra. Era a terra sem forma e vazia; trevas cobriam a face do…

Usina Energisa indica produções paraibanas para conferir na internet

A Paraíba é um grande celeiro cultural, repleto de profissionais talentosos. Por isso, mesmo com as atividades pausadas temporariamente, a Usina Energisa incentiva o consumo da cultura local sugerindo materiais…