Em sessão plenária do Senado na quarta-feira, o senador José Maranhão expressou solidariedade aos nordestinos castigados pela seca que atinge a região há seis anos. “Eu tenho testemunhado aqui a angústia dos nossos companheiros do Sul do País com estiagem de 50 dias, de 60 dias. Imaginem se eles tivessem que amargar o que nós estamos amargando, com uma seca total sem precedentes na nossa história que já dura seis anos”, ressaltou.

Em aparte à Senadora Fátima Bezerra (PT/RN), que na tribuna abordou a necessidade de conclusão do Eixo Norte da Transposição do São Francisco, José Maranhão destacou que um terceiro Eixo, no Canal de Piancó, poderá levar água ao Alto Sertão da Paraíba e parte do Rio Grande do Norte. Ele lembrou que os dois estados são os mais atingidos pelo fenômeno desta seca que não dá trégua. “Nós temos uma integração natural – Paraíba e Rio Grande do Norte –, porque é através da sangria do Açude Coremas-Mãe d’Água, que o Rio Grande do Norte alimenta uma vasta região do seu território e um dos maiores reservatórios do Estado”, destacou o senador.

Ele reiterou que a transposição não é para os paraibanos somente uma questão de honra, mas de sobrevivência. E enfatizou a necessidade de continuação da obra até o terceiro Eixo. Segundo Maranhão, o açude Coremas-Mãe d’Água, para cumprir o seu papel no abastecimento de água de todo o Sertão da Paraíba, precisa da transposição. Segundo ele, o terceiro eixo, de Piancó, é que vai realmente realimentar o Coremas-Mãe d’Água e, através dele, todo o Alto Sertão da Paraíba e parte do Rio Grande do Norte. “Os nordestinos defendem, lutam pela transposição e agora já não é mais a luta primária pela transposição, mas a luta secundária pela distribuição dessa água, que precisa chegar com urgência para que a população não sofra mais do que já está sofrendo no Alto Sertão da Paraíba, a região mais seca do Estado”.

O senador paraibano reconheceu a coragem do ex-presidente Lula, “que teve a iniciativa de enfrentar todas as oposições resultantes da incompreensão que se formaram para a consolidação desta obra”. Maranhão destacou o empenho do governo Temer em entregar a Transposição no tempo previsto. “Nós temos que reconhecer também que o Governo atual tratou dessa questão como um verdadeiro estadista. Sem se preocupar com a autoria da obra, mas com a necessidade dos nordestinos, continuou a obra com afinco. Eu quero testemunhar aqui também a determinação do Ministro Helder Barbalho, que soube compreender o drama dos nordestinos. Foi graças a ele, pela sua determinação, e do próprio Governo Michel Temer, que nós não estamos na Paraíba, no Compartimento da Borborema, que abriga uma população de 1 milhão de pessoas, passando por verdadeira calamidade”, afirmou José Maranhão, ao lembrar que a água do Eixo Leste já chegou e está sendo distribuída para todo o Planalto da Borborema e parte da região do Curimataú, inclusive, Pedra Lavrada.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Unimed volta a ser condenada a indenizar paciente que teve cirurgia negada

A Segunda Câmara Especializada Cível do TJPB manteve sentença do Juízo da 2ª Vara Cível da Comarca da Capital que condenou a Unimed João Pessoa – Cooperativa de Trabalho Médico…

Ônibus com cerca de 30 passageiros pega fogo na BR-230

Na manhã desta quarta-feira (19), um ônibus da Viação Rio Tinto, com cerca de 30 passageiros, pegou fogo na BR-230, km 67. Segundo informações do motorista o ônibus saiu de…