Por pbagora.com.br

O Governo da Paraíba, por meio da Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), apoia a avicultura alternativa (caipira) com assessoramento técnico e acompanhamento da produção. A intenção é priorizar, de forma planejada, o mercado consumidor de carne e de ovos, e com isso garantir emprego e renda no meio rural.

Em breve, o município de Bom Sucesso, localizado na região administrativa da Empaer de Catolé do Rocha, no Sertão paraibano, vai ser contemplado com a construção de dois aviários e um entreposto de ovos. O empreendimento tem uma estrutura de aproximadamente 500 metros quadrados.

A Empaer vai disponibilizar as orientações técnicas na condução dos trabalhos de instalações dos aviários e do entreposto de ovos que vai gerar inicialmente 20 empregos diretos. Os extensionistas irão acompanhar os avicultores na criação, na produção e na comercialização dos produtos qualificados e certificados.

De acordo com o médico veterinário da Empaer e especialista em avicultura alternativa Vicente de Assis Ferreira, o novo empreendimento terá capacidade para abrigar, dentro de um ano, até nove mil aves de postura e produzir semanalmente 12.600 ovos. As perspectivas de mercado naquela região sertaneja são as melhores possíveis, pois mesmo antes da implantação dos aviários já foram antecipados pedidos de produtos de alguns municípios, dentre eles Catolé do Rocha, Pombal, Sousa e Cajazeiras.

Cadeia produtiva – Segundo o especialista, mais de 90% das famílias agricultoras trabalham com avicultura alternativa ou caipira no estado. A atividade, quando bem manejada, poderá contribuir significativamente na geração de renda. Informou, por exemplo, que a comercialização de 500 galinhas alojadas adequadamente pode proporcionar uma renda mensal de aproximadamente R$ 4.000,00 ao produtor.

Conforme a observação de Hermano Severino de Araújo, médico veterinário da Empaer e que também assessora esse projeto, a principal vantagem da avicultura alternativa ou caipira é a criação em regime de semiconfinamento. “As aves andam, ciscam, comem insetos, crescem por mais tempo e garantem melhor qualidade de carne e de ovo do que o frango criado em regime industrial”, disse.

Para Assis Ferreira, a atividade de produção de ovos tem apresentado um bom desempenho. Os ovos caipiras selecionados e certificados abastecem supermercados, feiras livres e domicílios, além de serem fornecidos para programas institucionais. Os entrepostos de ovos estão localizados nos municípios de São Sebastião de Lagoa de Roça, com o registro ‘Sou Caipira’, e em Pilar, pertencente ao agricultor Marinaldo de Farias, sob o registro ‘Luiza Ovos’.

Atualmente, a Paraíba tem seis cooperativas de avicultura caipira com 250 cooperados e 17 associações, com cerca de 200 sócios. Segundo o diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural da Empaer Jefferson Moais, o agricultor familiar que possui Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) está habilitado a vender os produtos, por meio do Pnae, tanto pela Secretaria Estadual de Educação, quanto pelas secretarias municipais de Educação.

 

Redação

Notícias relacionadas

Queiroga não foi consultado por Bolsonaro sobre decreto contra restrições

Em reunião da CPI da Pandemia, nesta quinta-feira (6), o ministro da Saúde paraibano, Marcelo Queiroga, afirmou desconhecer um possível decreto anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro que poderia impedir medidas…

Bebê de cinco meses morre asfixiado ao brincar com saco plástico, na PB

Um bebê de apenas cinco meses morreu asfixiado ao brincar com uma sacola plástica na nessa quinta-feira (06) na cidade de Teixeira, Sertão da Paraíba. De acordo com as informações…