Por pbagora.com.br

Em correspondência encaminhada ao Portal PB Agora, nesta segunda-feira, a direção do Banco Matone faz algumas ponderações sobre o envolvimento da instituição financeira no escândalo da prisão do prefeito Edivan Félix, de Catingueira, na última sexta-feira, pela Polícia Federal, sob acusação de irregularidades em empréstimos feitos em nome de servidores municipais.

Segue a nota,  na íntegra, assinada pela gerente de Comunicação e Marketing do Banco Matone, Carolina Rispoli Leal:

 

Seriedade, respeito e ética norteiam atuação do Banco Matone há quatro décadas

Com 40 anos de história, o Banco Matone – um dos bancos gaúchos mais tradicionais com atuação nacional – sempre conduziu seu trabalho com seriedade e solidez. Com uma visão empresarial de longo prazo, ancorada na excelência do atendimento e na inovação permanente dos produtos e serviços, o Banco exerce, na prática, a missão de oferecer aos clientes, sejam eles investidores ou tomadores de crédito, apoio e orientação financeira baseados nos princípios de ética, transparência, respeito, solidariedade e de valorização humana.

É importante ressaltar que o Matone rege seu negócio seguindo e obedecendo rigorosamente às orientações e normas do Banco Central do Brasil, autarquia federal integrante do Sistema Financeiro Nacional. Desta forma, a organização já se colocou à disposição para esclarecer, junto à justiça federal , assuntos relacionados à concessão de crédito consignado no município Catingueira, na Paraíba, buscando auxiliar na identificação dos responsáveis pelas irregularidades encontradas durante esse processo. O Matone também está disponível para o atendimento à formadores deopinião e comunidade, buscando tranqüilizar as relações estabelecidas naquela região e baseadas nos valores institucionais.

Esclarecimentos

Em relação às matérias veiculadas envolvendo o nome do Banco Matone S.A., vimos prestar os seguintes esclarecimentos:

– O Banco Matone concedeu financiamento aos funcionários da Prefeitura de Cantingueira, tendo observado rigorosamente a legislação pertinente:

a) Foi selado um convênio com a Prefeitura para concessão de financiamento a seus funcionários;

b) Estes apresentaram ao Banco seus contracheques com margem adequada para a sua concessão;

c) Apresentaram igualmente comprovante de residência;

d) Firmaram os contratos de financiamento, tendo os mesmos sido averbados à Prefeitura;

e) Diante da documentação apresentada, o Banco creditou os valores diretamente nas contas correntes dos respectivos tomadores.
O Banco, no resguardo dos seus direitos, está acompanhando as investigações em curso para adotar as providências que se fizerem necessárias.

Carolina Rispoli Leal
Gerente de Comunicação e Marketing
Matone
 

 

PB Agora

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Mais de 100 anos antes da Covid-19, PB enfrentava a Gripe Espanhola

A Paraíba, assim como o Brasil e o mundo, vive um momento tenso, com a pandemia do novo coronavírus. A doença já matou mais de 100 mil brasileiros, e ceifou…

Vai faltar água em cinco localidades de JP nesta quarta, diz Cagepa

Manutenção da Energisa interrompe abastecimento d’água em cinco localidades de João Pessoa A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) vai interromper, a pedido da Energisa, o abastecimento de…