“O que não pode acontecer são aglomerações”. A análise é do advogado Marcelo Weick Pogliese, membro da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (Abradep) e que está participando das discussões sobre as mudanças no processo eleitoral deste ano, ao não descartar a possibilidade de haver corpo a corpo, ou seja, contato eleitor – candidato de forma direta, na campanha eleitoral desse ano.

O advogado ressaltou, no entanto, que os candidatos terão que cumprir todas as regras de isolamento social determinadas pelas autoridades sanitárias além de tomar as medidas preventiva necessárias, como o uso de máscaras e de álcool gel.

A estratégia melhor, nesse cenário, conforme Weick, é que os candidatos a começarem a criar, desde agora, plataformas digitais por meio das redes sociais para interagir melhor com os eleitores principalmente colocando os nomes deless e das lideranças em grupos de WhatsApp.

‘São mudanças que vão mexer muito com a cabeça dos candidatos que terão que ter criatividade para superar tudo isso”, emendou. As declarações repercutiram no programa Rede Verdade, da Arapuan FM, nesta terça-feira (22).

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Lei garante que setor industrial pode produzir, transportar e comercializar álcool 70% na PB

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino, promulgou a Lei 11.728/2020, de autoria do deputado Buba Germano, que autoriza a produção, envase, comercialização e transporte do álcool…

Centro de Zoonoses de Campina Grande retoma serviço de castração

A Secretaria de Saúde de Campina Grande vai retomar o serviço de castração de cães e gatos no Centro de Zoonoses do município. A castração foi suspensa durante três meses…