Por pbagora.com.br

 A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou uma sessão especial, nesta sexta-feira (24), para comemorar o Dia do Trabalhador Rural, comemorado neste sábado (25), e os 40 anos da Comissão Pastoral da Terra (CPT). A sessão contou com a participação de trabalhadores rurais e dirigentes de entidades sindicais e instituições governamentais.

 

O deputado Frei Anastácio, autor da propositura da sessão especial nº 59/2015, exaltou a força e coragem dos pequenos trabalhadores rurais. “Os pequenos agricultores são responsáveis por mais de 70% dos alimentos que chegam à mesa dos brasileiros, através da agricultura familiar”, comentou.

 

No estado existem hoje mais de 40 feiras agroecológicas dos trabalhadores da reforma agrária e agricultores familiares que comercializam seus produtos, sem a utilização de agrotóxicos e por mês são produzidas 170 toneladas de alimentos. Estudos da Organização das Nações Unidas (ONU) apontam que os agricultores familiares são responsáveis pela maioria dos alimentos que chegam à mesa da população, como o leite (58%), a mandioca (83%) e o feijão (70%).

 

Com relação à Comissão Pastoral da Terra (CPT), que completa 40 anos de atuação, Frei Anastácio comentou que a entidade presta serviços de assessoria técnica, ética, política, jurídico e social em defesa do povo pobre.

 

O superintendente do INCRA na Paraíba, Cleofas Cajú, afirmou que o instituto acompanha atualmente no Estado 16 mil famílias de trabalhadores rurais com assistência técnica, sendo diretamente 12 mil famílias.

 

O titular da Delegacia do Ministério do Desenvolvimento Agrário na Paraíba, Luiz Gonzaga Júnior, destacou que os jovens e as mulheres atualmente já se fazem mais presentes nas organizações de movimentos pelos direitos dos trabalhadores rurais com avanços.

 

O agricultor Ivanildo Teotônio, destacou a importância de se produzir e de se consumir cada vez mais alimentos orgânicos, sem agrotóxicos e revelou que tem aumentado a procura por alimentos saudáveis. Citou ainda o apoio que as empresas de assistência técnica rural têm dado ao homem do campo. Na sessão foi exibido um vídeo mostrando a qualidade dos alimentos agroecológicos vendidos nas feiras com agricultores familiares.

 

A agricultora Tania Maria de Sousa, coordenadora da Comissão Pastoral da Terra, ocupou a tribuna para dizer que 95% das terras conquistadas pelos agricultores são frutos da luta dos camponeses com coragem e com ousadia de mulheres e homens que têm resistido à força do latifúndio.

 

A sessão especial teve ainda a participação de representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT); Comissão Estadual da Verdade, Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Estado da Paraíba, dentre outras entidades.

 

Ascom

Notícias relacionadas

Justiça rejeita ação de Cabo Gilberto e mantém toque de recolher na PB

A Justiça rejeitou uma ação movida pelo deputado estadual Cabo Gilberto que pedia que não houvesse toque de recolher na Paraíba. O entendimento da Justiça foi de que o toque…

Diretor do Grupo São Braz, José Carlos, morre em decorrência da covid-19

Faleceu nesta sexta-feira (05) por complicações de saúde causadas pela covid-19, o diretor presidente do Grupo São Braz e proprietário das TVs Cabo Branco e Paraíba, José Carlos da Silva…