Por pbagora.com.br
?

Uma decisão do Conselho Regional de Medicina determinando, em um único ato, a interdição e consequente Desinterdição da Unidade de Pronto Atendimento Dr. Otavio Pires de Lacerda – UPA 24 HS, em um espaço de tempo de apenas 12h tem causado estranheza no município de Patos, Sertão da Paraíba.

Segundo o documento, a interdição seria ética porque no dia 01 de dezembro de 2019 não havia quadro de profissionais médicos suficientes para atendimento nem Diretor Clínico ou Técnico na unidade. Apesar da ‘punição’, a denúncia sobre ausência de médicos no local já havia sido realizada há pelo menos duas semanas, todavia, a decisão do CRM, inovando, interditando e desinterditando a unidade em um único documento não sanou o problema.

Na cidade, a informação é que o Conselho estaria agindo como uma espécie de protecionismo (uma doutrina, uma teoria que prega um conjunto de medidas a serem tomadas no sentido de proporcionar favorecimento), o que, por consequência, acaba prejudicando a população, que é a mais necessitada na oferta de serviços públicos.

VEJA DOCUMENTO

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Escritório de Advocacia composto por paraibanos está entre os melhores do país

Uma pesquisa realizada pelo portal Análise Editoral, intitulada Analise Advocacia 2020, apontou o QVQR Advocacia dentre os escritórios de Advocacia mais exemplares do país. Os sócios que compõem o Queiroga,…

Afastado do Tribunal de Contas da Paraíba há quase um ano, Arthur Cunha Lima pede aposentadoria

Afastado de suas funções do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB), há quase um ano, o conselheiro, Arthur Cunha Lima, entrou com um pedido de aposentadoria na Previdência Social da…