?

Uma decisão do Conselho Regional de Medicina determinando, em um único ato, a interdição e consequente Desinterdição da Unidade de Pronto Atendimento Dr. Otavio Pires de Lacerda – UPA 24 HS, em um espaço de tempo de apenas 12h tem causado estranheza no município de Patos, Sertão da Paraíba.

Segundo o documento, a interdição seria ética porque no dia 01 de dezembro de 2019 não havia quadro de profissionais médicos suficientes para atendimento nem Diretor Clínico ou Técnico na unidade. Apesar da ‘punição’, a denúncia sobre ausência de médicos no local já havia sido realizada há pelo menos duas semanas, todavia, a decisão do CRM, inovando, interditando e desinterditando a unidade em um único documento não sanou o problema.

Na cidade, a informação é que o Conselho estaria agindo como uma espécie de protecionismo (uma doutrina, uma teoria que prega um conjunto de medidas a serem tomadas no sentido de proporcionar favorecimento), o que, por consequência, acaba prejudicando a população, que é a mais necessitada na oferta de serviços públicos.

VEJA DOCUMENTO

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

MPPB recomenda a prefeito da PB o cumprimento do isolamento social

O Ministério Público da Paraíba expediu uma recomendação ao prefeito do município de Lagoa Seca, na região de Campina Grande, nesse domingo (29/03), para que no prazo máximo de 24…

Companhias suspendem temporariamente vôos para CG, por Covid-19

Por conta da pandemia do novo coronavírus e das medidas de prevenção para conter o avanço do Covid 19, o aeroporto Presidente João Pessoa em Campina Grande, está temporariamente sem…