Por pbagora.com.br

Foi realizada nesta segunda-feira (06) no 2º Tribunal do Júri, no Fórum Criminal de João Pessoa, a primeira audiência de instrução de Rafael Nunes, acusado de matar, em outubro de 2014, o estudante Higor Natan Borges emfrente ao prédio em que ele morava na Capital paraibana.

 

 

Foram ouvidas quatro testemunhas de defesa e quatro de acusação, incluindo a ex-namorada da vítima. Durante seu depoimento ela confirmou que teve um envolvimento com Rafael no período em que esteve separada de Higor.

 

 

Ao ser interrogado, Rafael negou ter cometido o crime e alegou estar em casa no dia do ocorrido.

 

 

Apesar do Ministério Público indicar que há indícios de que Rafael seja o autor do crime, a defesa do acusado pediu um prazo maior para apresentar alegações finais e para apresentar fatos novos ao processo, além de pedir a revogação da prisão preventiva do mesmo.

 

 

Por conta disso a defesa tem cinco dias para apresentar as alegações e após a juíza Aylzia Fabiana Borges Carrilho deve decidir se a prisão preventiva de Rafael será revogada ou mantida e se ele deve ir a júri popular.

*Foto: G1

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Cícero revoga decreto que impede volta às aulas nas escolas particulares de JP

O prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, anunciou, na tarde desta sexta-feira (15), através de seu perfil numa rede social que vai revogar o decreto municipal que impede o retorno…

João Azevêdo lança projeto de Parque Tecnológico em João Pessoa nesta sexta

O governador João Azevêdo lança, nesta sexta-feira (15), o Parque Tecnológico Horizontes de Inovação. O lançamento será às 10h, na futura sede do Parque, o antigo Colégio Nossa Senhora das…