A Paraíba o tempo todo  |

Defesa Civil já fez 300 notificações a donos de prédios que ameaçam desabar em CG

A Defesa Civil segue com o trabalho de monitoramento aos prédios antigos que estão com a estrutura comprometida e ameaçam desabar em Campina Grande.

De acordo com o coordenador do órgão, Ruiter Sansão, cerca de 300 notificações já foram entregues aos donos dos locais que oferecem risco de desabamento.

Na maioria deles, os prédios são tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep). Ruiter Sansão ressaltou que o regulamento do órgão permite reformas, desde que seja acompanhada pelo Ministério Público.

Esta semana, as marquises de dois prédios de Campina Grande sofreram um desabamento parcial após fortes chuvas registradas durante a semana. Uma idosa chegou a ser atingida pela estrutura e foi socorrida por uma equipe do Corpo de Bombeiros.

“Trezentas notificações foram feitas pela Defesa Civil aos proprietários responsáveis por esses prédios”, disse.

Ruiter observou que o principal problema existente nos prédios antigos, é a falta de manutenção, o que oferece risco de desabamento. Isso porque muitas edificações precisam de reparos e estão com a estrutura comprometida.

Segundo ele, a presença de vegetação, rachaduras e exposição das ferragens, apontam para sério risco de desabamentos.

Ruiter Sansão alertou que somente na área central de Campina Grande, cerca de 40 marquises estão comprometidas e podem desmoronar a qualquer momento.

De acordo com a Defesa Civil, um dos casos aconteceu na Rua Maciel Pinheiro, e o outro desabamento foi registrado em frente à Empasa, no bairro do Alto Branco.

No desabamento da Rua Maciel Pinheiro, os danos foram apenas materiais. Porém, no desabamento em frente à Empasa, uma senhora passava no momento e acabou sendo atingida. Ela foi socorrida por uma equipe do Corpo de Bombeiros.

Conforme Ruiter Sansão, equipes da Defesa Civil estiveram durante o dia realizando ações de monitoramento de outras marquises, para identificar possíveis riscos.

Um outro local que apresentou a possibilidade de desabamento de marquises foi o chamado “Beco 31”, também no Centro, onde parte do concreto caiu. Todos os proprietários estão sendo notificados para evitar acidentes.

O PB Agora ouviu o coordenador da DC Ruiter Sansão, e quis saber as providências que estão sendo tomadas para evitar tragédias. Ruiter disse que a equipe continua na rua, inspecionando os prédios e alertando a população para evitar passar perto de edifícios que ameaçam desmoronar.

Um dos prédios que também ameaça desabar, é o que funciona a Biblioteca Central no começo da rua Maciel Pinheiro, no Centro da cidade. O prédio que já funcionou na Câmara Municipal da cidade, foi isolado recentemente pela DC devido ao risco de acidentes.

“A Defesa Civil continua realizando um trabalho de vistorias nas marquises e casarões de Campina Grande. A meta é alertar os proprietários sobre possíveis riscos nas estruturas, cuidados necessários para evitar acidentes e, caso seja necessário, apontar melhorias necessárias nas estruturas”, disse o coordenador da Defesa Civil, Ruiter Sansão.

SL

PB Agora

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      1
      Compartilhe