Por pbagora.com.br

Na tarde desta quarta-feira (4), a cúpula executiva da CUT vai se reunir para avaliar o pacote de proteção à economia da Paraíba, lançada pelo governo do estado.

 

Para uma melhor análise do pacote, o presidente da CUT, Luis Silva, solicitou mais dados do IBGE e da DIEESE sobre o número de demissões no estado, para que eles possam juntamente com os trabalhadores garantir os empregos sem redução de salários.

 

Segundo Luis Silva, a maior preocupação da CUT é que as demissões causadas em decorrência da crise financeira, que passamos no momento, não virem uma bola de neve. “Comparando o mês de dezembro com novembro, houveram 2.400 demissões no estado e 70% delas foram nas cidades de Campina Grande e João Pessoa”, diz Luis.

 

O setor que mais sentiu o impacto da crise foi o da construção civil. Das 2.400 demissões, 700 foram desse setor.

 

 

Milena Feitosa
PB Agora

Notícias relacionadas

Ginecologista Mário de Oliveira Filho assume comando do HU de CG

O médico ginecologista e obstetra, Mário de Oliveira Filho, assumiu a superintendência do Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC-UFCG/Ebserh). A portaria de cessão assinada pelo reitor da Universidade Federal de Campina…

Recadastramento Nacional gera inúmeras vantagens para os corretores de imóveis

Corretores de imóveis de todo o país devem fazer o Recadastramento Nacional, através do aplicativo i-Corretor, já disponível para Android e IOS ou na página de recadastramento que está acessível…