Falta de segurança para os profissionais foi o principal motivo da interdição

O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) interditou eticamente os médicos que trabalham na Unidade Básica de Saúde da Familia (USF) Maria Abrantes Ferreira, no município de Lastro, no Sertão paraibano, após denúncias de profissionais. A partir da zero hora deste sábado (29), a unidade não contará mais com os serviços médicos. Este é um único posto de saúde do município que tem cerca de 2,7 mil habitantes.

O diretor de fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa, afirmou que a unidade de saúde não possui segurança e uma médica vinha recebendo ameaças constantes de um paciente. “A médica estava sendo assediada por um paciente há mais de quatro meses sem que fossem tomadas medidas protetivas. A denúncia anteriormente já havia sido feita à polícia, à Prefeitura e ao Ministério Público, mas nenhuma providência foi tomada”, disse o diretor de fiscalização.

“O CRM preza pelo atendimento médico de qualidade à população e pela segurança e o respeito aos profissionais no local de trabalho. Esta agendada uma vistoria na unidade de saúde do municipo nos próximos dias. A desinterdicao ética estará condicionada à disponibilização da segurança pelo setor público”, completou João Alberto.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Estado garante pagamento de abril, mas faz alerta sobre meses subsequentes

O secretário de Estado da Receita, Marialvo Laureano, comentou, em entrevista na tarde desta quarta-feira (8), as ações financeiras do estado com o objetivo de reduzir os impactos causados pelo…

Estado divulga contemplados no 4º sorteio da Nota Cidadã

O Governo da Paraíba realizou o 4º sorteio da campanha Nota Cidadã nesta quarta-feira (8), na sede da Loteria Estadual da Paraíba (Lotep), em João Pessoa. Sem a presença de…