Por pbagora.com.br

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) iniciou a Campanha de Vacinação contra Raiva Animal 2020, nesta segunda-feira (21), em toda a Paraíba. A iniciativa é viabilizada por meio da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde, que concentra as ações entre os dias 21 de setembro a 23 de outubro, desta vez sem um “Dia D”, por conta da pandemia da Covid-19. A meta deste ano é vacinar 657.141 animais, sendo 492.856 cães e 164.285 gatos.

A raiva é uma doença que pode ser transmitida dos animais para o homem, através da mordedura, saliva ou secreções. De acordo com o chefe do Núcleo de Zoonoses da SES, Francisco de Assis Azevedo, oficialmente a Campanha de Vacinação contra a Raiva Animal começa nesta segunda-feira em todos os municípios, porém vários deles já iniciaram a partir das zonas rurais e áreas de difícil acesso.

Por conta do período de pandemia, a SES recomenda atenção para algumas medidas durante o período da campanha, com o objetivo de reduzir o risco de transmissão da Covid-19. Entre as medidas estão: se possível, que não seja realizado o “Dia D”, para evitar aglomerações; usar estratégias de vacinação casa a casa, evitando entrar nos domicílios e adotar o sistema de postos volantes, por localidade.

Já nos postos fixos, a equipe – composta de um organizador, dois vacinadores e um compilador de dados e entregador de cartão de vacina – deve ser orientada a evitar contato físico com os tutores dos animais, manter uma fila para cães e outra para gatos, sinalizar distanciamento entre os tutores, além de obedecer aos cuidados do uso de máscara e álcool em gel. O animal deve estar sempre acompanhado de pessoa maior de idade e devidamente contido (com coleira e guia).

Ainda de acordo com o chefe do Núcleo de Zoonoses da SES, todas as orientações foram enviadas aos municípios para a condução da campanha de forma segura. “A estratégia a ser adotada ficará a critério do município, uma vez que todos já estão de posse das devidas informações, abastecidos de seringas e dosagens, bem como das instruções para a vacinação”, finaliza.

Os principais transmissores são os animais silvestres, como morcegos, gambás e macacos, que contaminam cachorros, gatos e humanos. O agravo possui um alto índice de mortalidade em mamíferos (quase 100%), mas pode ser prevenível através da vacina que não tem contraindicações e deve ser deve ser aplicada anualmente partir dos três meses de vida do animal. Em caso de dúvidas, a população deve procurar a secretaria de saúde do município.

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Anísio cutuca adesão de Couto a RC: “Ele gosta de ser traído e será outra vez”

O deputado estadual Anísio Maia, que disputa a prefeitura de João Pessoa pelo PT nas eleições municipais desse ano, ironizou o anúncio de adesão do ex-deputado federal Luiz Couto (PT),…

MPPB instaura inquérito contra a Prefeitura de Bayeux por irregularidades em licitação

Um inquérito civil público foi instaurado pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) contra a prefeitura da cidade de Bayeux, na Grande João Pessoa. O intuito é dar continuidade ao acompanhamento…