Por pbagora.com.br
Foto: Codecom / PMCG

Prefeito destaca travessia segura na pandemia como principal desafio da gestão municipal, mas elenca outros avanços

O prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, fez avaliação, na noite desta quarta-feira, 14, dos seus cem primeiros dias de gestão, em entrevista ao programa “O Grande Debate”, com transmissão via Instagram, ancorada pelos jornalistas Márcio Rangel, Celino Neto e Valderedo Borba.

O prefeito anunciou, durante a live que,  no próximo sábado, 17, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, cumprirá agenda oficial em Campina Grande. De acordo com a programação, Queiroga vai conhecer e acompanhar as ações em execução para o combate à covid, como também vai receber as demandas da cidade na sua área administrativa. Visitas ao Hospital Municipal Pedro I e ao ISEA estão agendadas.

Segundo o prefeito, este tem sido um período de enfrentamento de grandes desafios, levando-se em conta a crise sanitária gerada pela pandemia, além da carência de recursos por parte dos municípios brasileiros. Para Bruno, porém, os desafios estão sendo superados, apesar das dificuldades próprias deste período, sendo isto demonstrado pela própria aprovação popular, conforme pesquisa divulgada esta semana.

O prefeito campinense informou, por exemplo, que no Hospital Municipal Pedro I, destinado ao tratamento da covid,  dobrou, nos primeiros meses do ano, a quantidade de pacientes internados mas, ao mesmo tempo, houve a ampliação do número de leitos e de equipamentos. Hoje, a unidade conta com 160 leitos, sendo atendidas pessoas oriundas de Campina Grande e de dezenas de municípios do Nordeste.

Conquistas

Contudo, conforme relatou Bruno Cunha Lima, muitas conquistas podem ser comemoradas, como a criação do auxílio emergencial municipal, com aplicação de recursos de R$ 1,6 milhão e um público-alvo de quatro mil pessoas atingidas em seus empregos e renda, pela pandemia, em Campina Grande.

Bruno destacou ainda o funcionamento do Centro de Reabilitação específico para tratamento das pessoas com sequelas da covid; a implantação de um ambulatório de saúde mental ,que já atendeu a mais de 600 pessoas; e a criação de uma casa de apoio às famílias de outros municípios, com parentes no Pedro I, vítimas da doença.

Investimentos em saúde

O prefeito de Campina Grande destacou, ainda, a luta do seu governo pela saúde coletiva, como a convocação de mais de 80 médicos para os serviços básicos de saúde, tendo como norte valorizar e qualificar o serviço público, o que tem possibilitado a retomada de exames e a realização de cirurgias.

Também anunciou, para  breve, o início da recuperação de todos os Centros de Saúde de Campina Grande, enquanto, sobre o futuro Hospital da Criança e do Adolescente, informou que a construção passará por novas licitações para ser concluída e adquiridos os equipamentos.

Redação com Codecom/CG

Notícias relacionadas

Covid: PB registra 24 mortes nesta sexta; JP e CG lideram registros de novos casos

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou, nesta sexta-feira (14), 1.365 casos de Covid-19. Entre os confirmados hoje, 117 (8,57%) são casos de pacientes hospitalizados e 1.248 (91,42%) são…

Chuvas em JP nas últimas 24h ultrapassam a média esperada para maio

João Pessoa debaixo d ‘água. Em 24h choveu na capital paraibana mais do que o esperado para todo o mês de maio, segundo a Agência Executiva de Gestão das Águas…