Apesar da pandemia do novo coronavírus, dos seus reflexos na economia e na baixa da arrecadação dos tributos, o Governo da Paraíba ainda não trabalha com a tese de redução salarial dos servidores públicos do Estado. A garantia foi dada nesta quarta-feira (22), durante entrevista, pelo governador João Azevêdo (Cidadania), ao responder ao questionamento se a possibilidade já estava na pauta da administração.

De acordo com o gestor, nesse momento, as medidas de contenção estão sendo direcionadas para a redução dos custos materiais com a máquina pública, a exemplo de locação de veículos, consumo de combustíveis, entre outros.

“Não, de forma nenhuma está na pauta a redução de salário de servidor. Nós estamos trabalhando exatamente no contrário, que é reduzindo custeio. Boa parte da máquina parou, a não ser segurança e os serviços essenciais, como saúde, que ampliaram muito. Estamos fazendo redução com as entregas de veículos locados, reduzindo combustível, reduzindo o conjunto de coisas, porque a máquina é muito pesada, mas mantendo todos os serviços básicos para que a gente tenha recursos para manter o pagamento em dia, sem corte de salário de qualquer funcionário. Não é esse o objetivo que nós temos de maneira nenhuma”, assegurou.

Para o governador, as medidas a serem apreciadas pelo Congresso Nacional para atenuar a crise econômica nos Estados deverão dar uma sobrevida e um novo fôlego no combate à pandemia, apesar da disputa com o Governo Federal.
“Esperamos que o Congresso vote os projetos e as medidas que estão lá sendo analisados e pleiteados. Há uma disputa grande entre governo federal e parlamento que sobra para os estados. Todas as vezes os estados são usados como elemento para receber o que sobra da discussão e a culpa pela economia estar paralisada são os governadores e todo mundo sabe nesse país que se os números do Brasil ainda estão baixos se deve pela coragem que todos os gestores tiveram ao tomar decisões lá atrás”, ressaltou.

A Paraíba foi um dos primeiros estados a tomar medidas de contenção contra a propagação da Covid-19, tanto é que, mesmo com a existência de subnotificações de casos, apresenta uma situação confortável em relação a outros Estados que preferiram seguir dentro da normalidade e hoje estão pagando com a vida da população.
“A Paraíba tem um baixo número de morte, de casos, tem também subnotificação, mas muitos passam por essa crise sem ter reflexo nos leitos que é oque mais importa. Vale ressaltar que todas as medidas que foram tomadas visam em primeiro lugar proteger e salvar vidas e é isso que estamos fazendo”, finalizou.

 

Márcia Dias

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

MPPB quer investigação sobre desmatamento na Mata Atlântica em Bayeux

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) determinou, nesta terça-feira (26/05), que a 5ª Delegacia Distrital de Bayeux, na Grande João Pessoa, instaure um inquérito policial contra um servidor público afastado…

Covid-19: Paraíba registra 7 mortos e mais de 900 casos em 24h

O Governo da Paraíba, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), emitiu novo boletim epidemiológico do novo coronavírus (Covd-19). De acordo com o órgão, em 24h, sete mortos foram…