Por pbagora.com.br

 Somente no começo da tarde desta segunda-feira (11), o trânsito começou a fluir normalmente no Centro de Campina Grande. Foi precisou ir ao Centro na parte da manhã viu um dia de cão. A área central da cidade ficou fechada em decorrência de um protesto organizado pelos comerciantes ambulantes.

Revoltados com a retirada de suas barracas, eles fecharam a avenida Floriano Peixoto e resistiram ao cumprimento da ordem judicial. O clima era de revolta e de indignação. Ele queimaram pneus na avenida e impediram a passagem dos veículos em protesto contra a proibição de comercializar seus produtos nas calçadas e queimaram pneus, paralisando o trânsito na avenida Floriano Peixoto.

O trânsito ficou parado nos dois sentidos e uma fila quilométrica de veículos se formou. Muitas pessoas reclamaram do protesto e da lentidão do trânsito. “Eu passei uma hora para chegar do Terminal Integração até o Centro” reclamou a dona de casa Maria José.

Os ambulantes garantiram que foram pegos de surpresas. Eles relataram que quando chegaram para trabalhar, foram informados por agentes da Guarda Civil, que não poderiam mais se instalar nas calçadas do Centro, por determinação da Prefeitura.
Ainda segundo os comerciantes, foram feitos alguns cadastros, pela PMCG para relocação dos mesmos, mas até agora nenhuma providência foi tomada.

Os ambulantes prometem realizar novo protesto até qu uma comissão formada por eles, com o apoio do vereador Napoleão Maracajá (PCdoB) seja recebida pelo prefeito Romero Rodrigues.

Em nota a Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma), informou que cumpriu uma determinação judicial. A ação pedia a retirada de ambulantes que exerciam suas atividades na Avenida Floriano Peixoto, no centro. A medida, em atendimento à determinação judicial, gerou protestos por parte dos ambulantes, mas as autoridades municipais esclarecem que cumprem tão somente o que foi estabelecido pelo Poder Judiciário.

“Não podemos, de forma alguma, contrariar uma determinação da Justiça. Resta-nos, apenas, acatar o que foi definido pela Justiça em relação ao problema da ocupação desordenada dos espaços públicos, sobretudo nas calçadas da avenida de maior movimento da cidade, que é a Floriano Peixoto”, esclareceu o secretário da Sesuma, Geraldo Nobre.

“Em verdade, os que estão instalados há muitos anos nas arccas Catedral e Titão reclamam, com toda justiça, até mesmo dos obstáculos gerados pelos ambulantes que desordenadamente buscam vender seus produtos em pleno centro comercial de Campina Grande”, afirmou o secretário.

Severino Lopes

PBAgora

Notícias relacionadas

Opinião: Deputado Anísio Maia e a hipocrisia deslavada!

Tem certas coisas que são ridículas e até chegam a ser hilariantes. O Deputado Estadual Anísio Maia (PT), pela Paraíba, que ganha o mais que suficiente para viver economicamente saudável,…

Em alta: paraibana Juliete é elogiada por Thalia, protagonista de Maria do Bairro

A cantora e atriz mexicana Thalía, que interpretou a novela “Maria do Bairro”, no início dos anos 1990, e transmitida no Brasil pelo SBT, respondeu às menções que fizeram à…