Os Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), dos Atingidos por Barragens (MAB) e do Nacional de Luta por Moradia (MNLM), juntamente com a Consulta Popular, realizarão, nesta segunda-feira (09), um dia de mobilização, no Centro da Capital. O objetivo das ações é chamar a atenção da sociedade para a problemática da terra, moradia, preconceito e a situação das famílias da barragem de Acauã.

A primeira atividade acontece, às 10hs, em frente da Associação dos Plantadores de Cana (Asplan), onde as mulheres dos movimentos, aproveitando as celebrações referente ao Dia Internacional da Mulher (08), farão um ato simbólico contra a monocultura e pela soberania alimentar. Em seguida, os militantes seguirão pelas ruas do Centro em direção ao Palácio do Bispo, onde irão protestar contra as posições do Bispo Dom Aldo Pagoto contra os homossexuais, sem terras, mulheres e pessoas vivendo com HIV/Aids.

À tarde, o grupo traz para rua o debate sobre as famílias atingidas por barragens. Farão uma caminhada em direção a Praça dos 3 Poderes, denunciando o modelo energético, a violação dos direitos humanos das famílias que foram atingidas pela Barragem de Acauã e pedindo mais educação e saúde nos assentamentos. A concentração será, a partir das 14hs, no Parque Solon de Lucena (Lagoa). A proposta da organização é tentar encerrar o ato sendo recebido pelo Governo do Estado.

 

Assessoria

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário