Por pbagora.com.br

 Os servidores técnico-administrativos da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) realizaram uma assembleia na tarde desta terça-feira (22) e resolveram aceitar a proposta de acordo do Governo Federal. A data de retorno ao trabalho ainda não foi definida porque os funcionários estão aguardando a assinatura do acordo para retomar as atividades.

Uma nova assembleia está marcada para a próxima segunda-feira (28). Se até lá o Governo Federal tiver assinado o acordo, a categoria encerra a greve imediatamente. A proposta aceita foi de reajuste de quase 11% dividido em duas etapas. A principal reivindicação era um reajuste salarial de 27,3%, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Ensino Superior do Estado da Paraíba (Sintes-PB).

 

A greve dos servidores técnico-administrativos da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) começou no dia 28 de maio e já dura quase quatro meses. A decisão, por unanimidade, foi tomada durante uma assembleia geral do Sintes-PB, realizada no Centro de Vivência da universidade, no Campus de João Pessoa.

 

O presidente do sindicato, Severino Ramos, comentou que a decisão por greve aconteceu em função de não haver negociação concreta quanto à pauta de de reivindicações da categoria, que foi protocolada desde janeiro de 2014 junto ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e Ministério da Educação. Além de reajuste salarial, o funcionalismo pedia a reestruturação da carreira e aumento de investimentos nas instituições de ensino.

 

Redação com G1

Notícias relacionadas

UFPB oferece 100 bolsas para interiorizar ações de extensão

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB), por meio da Pró-reitoria de Extensão (Proex), divulgou nesta sexta-feira (14) o edital do programa UFPB no seu município, com abertura de inscrições para seleção de…

Reitor de UFCG omite responsabilidade de Bolsonaro no corte de R$18 mi

O professor Antônio Fernandes que foi nomeado neste ano reitor da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) pelo presidente Jair Bolsonaro em decreto. Ontem (13), ao comentar em entrevista o…