Os comerciantes que atuam na revenda de carros usados já podem contar com R$ 400 milhões para o financiamento de suas vendas, com juros de 1,4% ao mês, por meio do Banco do Brasil (BB). Esses recursos vão compor o capital de giro de micro e pequenos revendedores que oferecem financiamentos em até 24 meses. A medida foi divulgada nesta terça-feira em reunião no Ministério do Trabalho com associações de revendedores de automóveis de todo o País e entidades sindicais.

O ministro Carlos Lupi afirmou que o Banco do Brasil vai disponibilizar R$ 200 milhões que serão somados a outros R$ 200 milhões do Fundo de Amparo do Trabalhador (FAT), cuja liberação já foi aprovada pelo Conselho do órgão. Ele destacou que a medida atende a pedido do setor, que se compromete a manter os 600 mil empregos diretos e indiretos mantidos por uma rede de 46 mil agências de veículos em todo o País.

Para o ministro do Trabalho, esta é a primeira vez que uma medida é tomada atendendo ao interesse dos pequenos empreendedores depois que eles estabeleceram diálogo sobre suas necessidades, ante o decréscimo de vendas em conseqüência da crise econômica. Lupi diz que o Brasil deverá ser o primeiro país do hemisfério a crescer depois da crise, graças à compreensão do governo e do seu diálogo com o empresariado.

"O Brasil já passou pelo impacto mais difícil da crise", disse o ministro. Segundo ele, a partir de março os números do mercado de trabalho deverão começar a refletir a manutenção do nível de emprego. Os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) ainda não estão computados, pois o levantamento envolve 6 milhões de empresas, mas desde janeiro já há resultados animadores, afirmou Lupi.

O setor siderúrgico, conforme ele, "ainda continua forte" em razão da demanda externa e está se recuperando também pelo aumento das vendas na área automobilística.

 

terra

Deixe seu Comentário