Por pbagora.com.br

Quatro bancos elevaram as taxas de juros do cheque este mês.
No empréstimo pessoal, taxa média também ficou maior em julho.

As taxas médias de juros do cheque especial e do empréstimo pessoal voltaram a subir em julho, segundo levantamento da Fundação Procon de São Paulo. Foi o terceiro mês seguido de alta nas taxas, depois de um período de estabilidade.

No cheque especial, a taxa média cobrada pelos bancos passou de 8,90% ao mês em junho para 9,06% em julho. Quatro bancos elevaram as taxas cobradas: Banco do Brasil (de 7,69% para 7,75% a.m.), Bradesco (de 8,30% para 8,36% a.m.), Itaú (de 8,59% para 8,65% a.m.) e Unibanco (de 8,59% para 8,65% a.m.). Os demais bancos mantiveram suas taxas inalteradas.

TAXAS MÉDIAS DE JUROS praticadas PELOS BANCOS em julho (EM %, AO MÊS) BANCO
 

EMPRÉSTIMO PESSOAL
 

CHEQUE ESPECIAL
 

Banco do Brasil 5,28 7,75
 

Bradesco 5,46 8,36
 

Caixa Econômica Federal 4,78 7,15
 

HSBC 4,87 9,36
 

Itaú 5,86 8,65
 

Real 5,63 9,66
 

Safra 5,40 12,30
 

Santander 5,63 9,66
 

Unibanco 5,86 8,65

 

Nas operações de empréstimo pessoal, a taxa média também subiu pelo terceiro mês, passando de 5,42% ao mês em junho para 5,28% este mês. Houve alta nas taxas cobradas pelo Banco do Brasil (de 4,68% para 5,28% a.m.), Bradesco (de 5,40% para 5,46% a.m.) e HSBC (de 4,83% para 4,87% a.m.).

Para a pesquisa, realizada no dia 5 de julho, foram consultados os seguintes bancos: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Real, Safra, Santander e Unibanco.

“A elevação das taxas médias neste mês, bastante superior – em pontos percentuais – à dos meses anteriores, não se deve apenas à contribuição individual dos bancos, mas notadamente à saída do Banco Nossa Caixa, principal responsável pelas menores taxas da amostra até então. A partir deste mês, o Banco Nossa Caixa não integra mais a amostra da pesquisa, pois suas agências foram incorporadas pelo Banco do Brasil no último dia 25 de junho”, diz o Procon em nota.

 

G1