O chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, disse na quarta-feira que tem uma estratégia de abandono do ciclo de expansão monetária promovido recentemente pelo banco central norte-americano, que manterá a inflação sob controle enquanto a economia se recupera.

"Estamos bastante confiantes que poderemos elevar as taxas de juros, reduzir o fornecimento de dinheiro e fazer tudo isso de forma oportuna para evitar quaisquer consequências inflacionárias", disse Bernanke ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados dos EUA, durante o segundo dia de depoimentos sobre a política monetária do Fed.

Uma grave recessão nos Estados Unidos trouxe para baixo as pressões inflacionárias e o chefe do Fed disse que a inflação não será um problema nos próximos anos.

O Fed reduziu a taxa de juros overnight referencial para quase zero e colocou mais de 1 trilhão de dólares no mercado de crédito para mantê-lo operacional após o colapso do setor imobiliário, que gerou uma crise global do crédito no ano passado.

Bernanke defendeu as medidas agressivas do Fed, e disse que as ações tomadas pelo BC norte-americano e por outras autoridades monetárias evitaram o que poderia ser "um derretimento financeiro global".

"Acredito seriamente que evitamos, em meados de outubro, o colapso do sistema financeiro global, que poderia ter nos levado a uma crise econômica verdadeiramente profunda e prolongada", disse.

O chairman do Fed reconheceu que, em algum momento, o crescimento econômico vai ganhar força. Ele afirmou que isso implicará uma mudança da política para evitar que o enorme crescimento no fornecimento de dinheiro provoque inflação.

"É muito importante para nós, assim que a economia começar a se recuperar –como de costume, o Fed terá de promover um aperto na política– é muito importante para nós começar então a reverter nossa expansão monetária", disse ele aos parlamentares.

Críticos estão preocupados, pois consideram que será difícil para o Fed abandonar programas importantes, que impulsionaram os mercados de hipotecas e de empréstimos ao consumidor, e que o resultado eventual será uma inflação problemática.

Bernanke reconheceu esses riscos, mas disse que muitas das medidas emergenciais adotadas pelo Fed para impulsionar o mercado de crédito expirarão em algum tempo. Ele disse ainda que existe mais de uma maneira de apertar a política monetária e reduzir a inflação.

"Também temos outras ferramentas, como nossa capacidade de pagar juros sobre as reservas, que ajudará a elevar as taxas de juros, mesmo que não consigamos pegar o montante de dinheiro em circulação de volta tão rápido como gostaríamos".

Assim como fez na terça-feira, Bernanke repetiu nesta quarta que não vê necessidade de os Estados Unidos nacionalizarem bancos.
 

 

Reuters

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário