O IGP-10 (Índice Geral de Preços – 10) teve alta de 0,54% em fevereiro, contra deflação de 0,85% registrada em janeiro. No ano, o indicador acumula deflação de 0,31% e, nos últimos 12 meses, o acumulado é de 7,95%. Os preços dos alimentos e de educação puxaram o resultado deste mês para cima. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

 

No grupo Educação, Leitura e Recreação os preços passaram de alta 1,22% em janeiro para 2,78% neste mês, com destaque para o item cursos formais (1,68% para 4,71%). Já os preços dos produtos agropecuários no atacado passaram de deflação de 1,56% para uma alta de 3,24%.

 

A metodologia aplicada na apuração do IGP-10 é a mesma do IGP-M e do IGP-DI, também apurados pela FGV, com a única diferença de ter um período de coleta diferente. O IGP-10 é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

 

O IPA (Índice de Preços por Atacado) teve alta de 0,52% neste mês, contra deflação de 1,50% em janeiro. O índice de Bens Finais passou de deflação de 0,93% no mês passado para alta de 1,17% em fevereiro, com destaque para o subgrupo alimentos processados (de -1,34% para 2,50%). Excluídos os subgrupos alimentos in natura e combustíveis, o índice teve alta de 0,90% neste mês, contra deflação de 1,33% um mês antes.

 

O índice do grupo Bens Intermediários teve deflação de 1,13%, contra queda de 1,80% um mês antes, com destaque para a aceleração nos preços dos materiais e componentes para a manufatura (de -2,42% para -0,70%). Excluído o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, o índice teve queda de 1,06%, contra deflação de 1,74% em janeiro.

 

O índice de Matérias-Primas Brutas passou de deflação de 1,67% em janeiro para alta de 2,26% neste mês, com destaque para os preços dos itens soja em grão (0,66% para 9,37%), bovinos (-6,75% para 0,58%) e milho em grão (3,50% para 12,22%). Já os preços de mandioca (1,33% para -8,63%), minério de ferro (0,61% para -1,38%) e cacau (17% para 3,56%) desaceleraram.

 

O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) teve alta de 0,64% neste mês, ligeiramente acima do 0,62% registrado em janeiro. Os preços do grupo Despesas Diversas tiveram alta (0,29% para 0,40%), em particular no item cartório (0,06% para 5,29%).

 

Já os preços dos grupos Alimentação (0,81% para 0,70%), Habitação (0,29% para 0,28%), Vestuário (0,40% para -0,37%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,62% para 0,45%) e Transportes (0,83% para 0,55%), com destaque para os itens hortaliças e legumes (8,04% para 3,41%), tarifa de eletricidade residencial (0,02% para -0,20%), roupas (0,56% para -0,86%), artigos de higiene e cuidado pessoal (1,04% para 0,46%) e tarifa de táxi (4,21% para -3,68%).

 

O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) subiu 0,43% neste mês, contra alta de 0,17% em janeiro. Os grupos Materiais e Mão-de-Obra passaram de 0,17% para 0,37% e de estabilidade para 0,39%, respectivamente. O grupo Serviços apresentou ligeira redução passando de alta de 1,05% em janeiro para 1,02% neste mês.

 

Folha Online

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Corretor comenta aumento de preços para quem quer alugar uma casa para veraneio nas praias paraibanas

O veraneio está chegando, quem pensa em alugar uma casa ou apartamento para passar os meses de dezembro, janeiro e fevereiro nas praias da Paraíba, devem se apressar. É que…

Sine PB oferece 194 vagas de emprego a partir desta segunda em 5 cidades

O Sistema Nacional de Emprego (Sine) na Paraíba está ofertando 194 oportunidades de emprego a partir desta segunda-feira (14). Cinco cidades estão com as vagas em aberto, João Pessoa, Bayeux,…