Se Chico Buarque seguisse cantando os versos de Paratodos? O meu pai era paulista/Meu avô, pernambucano/O meu bisavô, mineiro/Meu tataravô, baiano…? ele chegaria a José Ignácio Buarque de Macedo, um dos patriarcas da família. Na realidade, a árvore genealógica de Chico nasceu da união de José Ignácio Buarque de Macedo, um dos mais poderosos senhores de engenho do nordeste, que se casou com a ex-escrava e analfabeta Maria José Lima. A história está em Buarque – Uma Família Brasileira.
 

Por volta de 1790, Maria José Lima colocou a educação como prioridade na família. O historiador Sérgio Buarque de Hollanda foi seu trineto. Aurélio, Cristovam, Miúcha e Chico Buarque, seus tetranetos e Bebel Gilberto, sua pentaneta. O primo de Chico, Bartolomeu Buarque de Holanda, registrou em dois volumes a história da família que será lançada este mês pela editora Casa da Palavra.

 

 

No primeiro volume, um ensaio com 1.200 páginas, as informações são bem técnicas e procuram descobrir a origem da família Buarque. De acordo com a pesquisa, o número já chega a 10 mil descendentes. No segundo volume, em forma de romance, o autor conta toda a saga da família. Para escrever a obra, o autor disse ter levado 25 anos pesquisando 15 mil documentos. O romance, no entanto, privilegia a história de Maria José Lima que, segundo o autor, soube como poucos valorizar o estudo e a educação. As informações são do Jornal da Tarde.
 

 

estadao.com.br

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Zé Ramalho faz confidências de sua vida e revela como parou o vício

Um dos ícones da música brasileira, o paraibano de Brejo do Cruz Zé Ramalho, confidenciou detalhes de sua vida que alguns fãs não conheciam no programa Conversa com Bial.Há 40…

Dez mil brasileiros participam da canonização da Irmã Dulce no Vaticano

Cerca de 50 mil pessoas acompanharam o rito de canonização da brasileira Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, a irmã Dulce, e de outros quatro beatos, realizado na manhã…