A Paraíba o tempo todo  |

Opinião: Banqueiros, empresários e executivos em busca de uma terceira via!

Para quem não sabe, são essas três classes que impulsionam e dão vida a uma candidatura sólida e firme à presidência de qualquer país democrático. O povão é apenas: “a voz rouca das ruas”, como já dizia o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Pois bem, essas três classes não andam nenhum pouco satisfeitas quanto ao rumo econômico do governo Jair Messias Bolsonaro. A questão não é que o Presidente Bolsonaro venha fazendo as coisas equivocadas, pelo contrário, o fato é que essas três classes não estão mamando no peito da vaca como fizeram em governos do PSDB e PT.

Eles afirmam estar descontentes com a não realização de algumas reformas que eles acham prioritárias em nosso país e que vem se arrastando há 40 anos como: Uma robusta reforma política, reforma econômica, reforma tributária e uma reforma trabalhista com cara de seriedade, pois, a mini-reforma que aconteceu em 2017, foi pálida. Aqui deixo meu parecer: como eles podem estar reclamando dessas reformas se eles têm o poder de fazê-las acontecer? A maioria dos políticos robustos e defensores de interesses dos poderosos estão nas mãos deles, ou seja, de banqueiros, empresários e executivos.

Temos hoje mais de 30 partidos políticos em nossa nação (um absurdo) e todos eles estão nas mãos dessas três classes, logo, a esses três grupos lhes falta interesse de ver o país com uma melhor cara. Na verdade, eles estão buscando uma terceira via segundo seus próprios interesses. O presidente Jair Bolsonaro resolveu enfrentar de cara muitas classes poderosas e cortar vícios centenários que as alimentava, porém, o sistema é forte e cruel. Todo esse peso o presidente está a sentir sobre o seu corpo. Talvez, seja essa uma das causas que o faça chorar no banheiro, para não levar preocupação à nação, e principalmente à esposa, que faz parte de seu habitat. Quantos de nós, já não choramos no banheiro: só que Bolsonaro é simples e natural quanto a exposições do que acontece no seu mundo secreto.

O Roberto Setubal, copresidente do conselho administrativo do Itaú, Unibanco, assim se expressou recentemente numa de suas entrevistas: “O mundo anda e nós estamos para trás.” Na verdade, sr. Setubal, você e seu grupo andam brilhosamente e nós os roucos das ruas ficamos para trás. Termino com uma coceirinha de orelha: “Talvez Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, venha a substituir a Paulo Guedes no ministério da Economia”… conversa de bastidores.

PUBLICIDADE

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      1
      Compartilhe