O governo do Amazonas divulgou nota com informações atualizadas sobre o número de mortes ocorridas no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM 1), no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), todos localizados em Manaus (AM).

De acordo com o novo levantamento divulgado hoje (28) pela Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas, o total de detentos mortos é 40, sendo 25 no Ipast; quatro no Compaj, cinco CDPM 1; e seis na UPP. Os corpos apresentavam indícios de morte por asfixia.

As mortes ocorrem um dia após 15 detentos do Compaj terem sido assassinados. Ao todo, o número de mortes no sistema prisional diminui para 55. Anteriormente, o órgão havia informado 57.

Monitoramento da inteligência e a intervenção rápida da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), com as forças de segurança pública do estado, evitaram que o número de presos mortos fosse ainda maior, nessa segunda-feira (27).

“Atuamos preventivamente para retirar as pessoas que poderiam ser vitimadas e o fizemos ao longo de todo o dia. O monitoramento da situação do sistema prisional continua sendo feito, com reforço policial nas áreas externas de todo o sistema. As mortes registradas foram por asfixia, e uma pequena parte por uso de estoques”, disse o titular da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), coronel Vinicius Almeida.

 

Agência Brasil
Foto: Reuters/Sandro Pereira/Direitos reservados

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Pronunciamento de Bolsonaro sobre Amazônia é recebido com panelaço pelo Brasil

Cidades brasileiras registraram panelaços na noite desta sexta-feira (23) durante pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre as queimadas na Amazônia. Ele falou em rede nacional de rádio e TV. O…