Por pbagora.com.br

O youtuber, empresário e influencer Felipe Neto vai lançar um projeto para defender pessoas processadas pelo governo. A frente “Cala-Boca Já Morreu” será formada pelos escritórios dos especialistas André Perecmanis, Augusto de Arruda Botelho, Davi Tangerino e Beto Vasconcelos, e deve contemplar ações criminais, cíveis e administrativas.

A ideia é oferecer defesa gratuita a cidadãos que criticarem o governo do presidente Jair Bolsonaro ou qualquer autoridade pública. Qualquer pessoa que não possua advogado constituído pode contar com o serviço.

“O Cala-Boca Já Morreu será um grupo da sociedade civil que vai lutar contra o autoritarismo e que será movido pelo princípio de que, quando um cidadão é calado no exercício do seu legítimo direito de expressão, a voz da democracia se enfraquece. Não podemos nos calar. Não podemos deixar que nos calem e não vamos”, ressalta Neto, idealizador do projeto.

A iniciativa é também uma reação do youtuber a acontecimentos recentes. Nesta segunda-feira (15/3), ele foi intimado por suposto crime contra a segurança nacional, após ter chamado Bolsonaro de “genocida”. A denúncia partiu de um dos filhos do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

“A liberdade de expressão no Brasil está sob ataque de violentos inimigos da democracia. Querem intimidar e silenciar a todos aqueles que criticam autoridades públicas, eleitas pelo povo, e que exercem o poder que têm em nome desse mesmo povo. E para isso, se armam da Lei de Segurança Nacional, herança do passado mais terrível e assombroso do país: a ditadura militar”, destaca o advogado Augusto de Arruda Botelho.

Notícias relacionadas

Apesar do quadro grave, Paulo Gustavo não tem mais hemorragias

De acordo com novo boletim médico sobre o quadro de saúde do ator Paulo Gustavo, ele segue internado em estado grave no Rio de Janeiro, porém não apresenta mais hemorragias.…