Por pbagora.com.br

Em coletiva na tarde desta sexta-feira (18) em Genebra, na Suíça, a Organização Mundial da Saúde anunciou que o vírus da zika e seus transtornos neurológicos associados não são mais uma emergência sanitária internacional. No entanto, a comissão disse que deverá continuar com uma “ação endurecida” contra todas as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Estavam presentes o presidente do Comitê de Emergências da OMS, David Heymann, e o diretor-executivo do Programa de Emergências de Saúde, Pete Salama, que informaram que, desde fevereiro, quando a emergência sanitária foi declarada, a organização tem dado uma “robusta reposta ao vírus” e que um novo grupo será escalado para continuar os trabalhos de combate nos países mais afetados.

“O vírus da zika segue um problema muito importante a longo prazo (…) mas não é mais uma emergência de saúde pública a nível mundial”, disse Heymann.

Com o fim da emergência para o controle do vírus da zika, essa nova equipe deverá criar um programa a longo prazo a ser instalado pela OMS. Neste ano, a epidemia afetou mais de 75 países e, no Brasil, gerou mais 200 mil casos reportados ao Ministério da Saúde.

“Não estamos diminuindo a importância do zika ao colocar isso como um programa de trabalho mais longo, estamos enviando a mensagem de que o zika está aqui para ficar”, disse Salama.

 

 

G1

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PB volta para faixa azul e registra queda nas mortes por Covid-19

Depois de passar mais de uma semana no “vermelho” com alta no número de mortes causadas pela Covid-19, e cair para a faixa amarela que significa estabilidade nas mortes pela…

Opinião: já pararam pra pensar no que seria uma pandemia com SUS privatizado?

Quando a gente pensa que a capacidade desse tal Jair Bolsonaro de fazer o mal à pobreza já atingiu o seu limite, eis que vem outra lapada sobre os mais…