Por pbagora.com.br

Além de ser uma atitude generosa, quem doa órgãos pode devolver a vida a uma pessoa em fase terminal. Essa prática ainda é tímida no Brasil e precisa ser mais constante. Muitas famílias que perdem entes queridos não optam voluntariamente por esse procedimento. Mas é justamente nesses momentos que devem entrar em ação os profissionais e gestores de saúde.

No Complexo Hospitalar de Mangabeira Tarcísio Buryti (Ortotrauma), a Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (Cihdott) vem otimizando o trabalho para garantir que sejam notificados 100% dos óbitos e que em todos os casos seja feita a verificação de possíveis doadores em entrevista com os familiares.

No próximo dia 27, será comemorado o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos. Para lembrar a data, a direção do Ortotrauma se antecipa e realiza nesta segunda (21) e terça-feira (22), no auditório da unidade hospitalar, a campanha ‘Setembro Verde’. Uma ação estratégica que visa contribuir para a transformação e qualificação das práticas de saúde, com a possível organização das ações da rede hospitalar.

Outro objetivo da ação é organizar o processo de captação de órgão e tecidos na unidade hospitalar, além de capacitar médicos, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos, entre outros profissionais envolvidos no processo de captação de órgãos. Outra meta é elaborar e apresentar um fluxograma de protocolo do Cihdott na unidade médica.

“O processo envolve, além da legislação, a identificação de potenciais doadores, o diagnóstico de morte encefálica, a comunicação do óbito à família e a entrevista com os parentes do paciente para a possível doação”, lembrou a diretora do Ortotrauma, Fabiana Araújo. Segundo ela, por mais que os profissionais não trabalhem em todas as frentes, é necessário que conheçam todas as fases e estejam prontos para acionar a Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante.

Confira a programação do evento:

Segunda-feira (21)
tarde
14h30 – Abertura
Drª Fabiana Fernandes de Araújo – diretora geral do Ortotrauma.
15h – Palestra: Atribuições da Cihdott e OPO no processo de transplante. Drª Gyana Lys de Melo.
15h30 – Palestra: Diagnóstico de morte encefálica. Dr. André Macedo – diretor técnico Ortotrauma.
16h – Coffe break
16h30 – Palestra: Manutenção de potencial doador. Dr. Paulo Gotardo.

Terça-feira (22)
manhã
9h – Palestra: História do transplante. Enfermeiro Newton Trófilo.
9h30 – Palestra: O papel da enfermagem no atendimento crítico. Enfermeiros Manoel Júnior e Joeudes Nogueira.
10h – café
10h30 – Roda de conversas sobre a integralidade das ações no processo de doação de órgãos e tecidos (fisioterapia, nutrição, enfermagem e laboratório)
12h – Encerramento

tarde
14h – Palestra: Acolhimento familiar serviço social e psicologia.
15h30 – Palestra: O papel da tomografia no paciente com suspeita de ME. Dr. Murilo Rodrigues.
16h – Palestra: Os aspectos legais no transplante (Mirian Carneiro).
16h30 – Coffe break
17h – Palestra: Órgão transplantado: A vida que renova. Dr. Antônio Campanili.
17h30 – Encerramento. Dr. Igor Mendonça.

 

 

Secom-JP