Por pbagora.com.br

O presidente do Sindicato dos Médicos da Paraíba (SIMED/PB), Marnio Costa, criticou à recomendação da Secretaria de Saúde de João Pessoa para coibir o uso de celulares e equipamentos eletrônicos em unidades de saúde.

Por meio de nota, o Sindicato solicitou esclarecimento das comissões de controle hospitalar nos hospitais e das UPAS ao mesmo tempo em que lembra que, em sentido contrário, o uso de celulares e notebook são aliados da telemedicina e se mostram como meios úteis e instrumentos de saúde.

Conforme o sindicalista, apesar da pandemia, o atual momento não se caracteriza como um estado de exceção que justifique tal medida.

“Como toda medida restritiva, é preciso que se tenha o amparo legal. Não é porque estamos num momento de pandemia que isso se caracteriza com um estado de exceção. Então no caso especifico, por se tratar de uma proibição relacionada ao zelo e aos cuidados em relação à saúde, imputado às instituição de controle hospitalar, o sindicato aguarda esses documentos que devem se pautar sobre o aspecto técnico e científico que justifiquem a proibição anunciada, após isso o sindicato analisará as eventuais medidas a serem tomadas”, ressaltou.

De acordo com o secretário de Saúde, Adalberto Fulgêncio, o objetivo da medida restritiva é, justamente, garantir a biossegurança. A medida, no entanto, chega seis meses após o início da pandemia no país.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Bebê de um ano é diagnosticada com leucemia e pais criam Vakinha para cobrir despesas do transplante

Diane Macedo da Silva Rocha, bebê de apenas um ano, foi diagnosticada com Leucemia Mielóide Aguda em julho deste ano. Após passar por ciclos de quimioterapia, Diane precisará de um…

Brasil tem menor média móvel de casos de Covid-19 desde 18 de junho

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h desta…