Por pbagora.com.br

O presidente do Sindicato dos Médicos da Paraíba (SIMED/PB), Marnio Costa, criticou à recomendação da Secretaria de Saúde de João Pessoa para coibir o uso de celulares e equipamentos eletrônicos em unidades de saúde.

Por meio de nota, o Sindicato solicitou esclarecimento das comissões de controle hospitalar nos hospitais e das UPAS ao mesmo tempo em que lembra que, em sentido contrário, o uso de celulares e notebook são aliados da telemedicina e se mostram como meios úteis e instrumentos de saúde.

Conforme o sindicalista, apesar da pandemia, o atual momento não se caracteriza como um estado de exceção que justifique tal medida.

“Como toda medida restritiva, é preciso que se tenha o amparo legal. Não é porque estamos num momento de pandemia que isso se caracteriza com um estado de exceção. Então no caso especifico, por se tratar de uma proibição relacionada ao zelo e aos cuidados em relação à saúde, imputado às instituição de controle hospitalar, o sindicato aguarda esses documentos que devem se pautar sobre o aspecto técnico e científico que justifiquem a proibição anunciada, após isso o sindicato analisará as eventuais medidas a serem tomadas”, ressaltou.

De acordo com o secretário de Saúde, Adalberto Fulgêncio, o objetivo da medida restritiva é, justamente, garantir a biossegurança. A medida, no entanto, chega seis meses após o início da pandemia no país.

 

PB Agora

Notícias relacionadas

Com bandeira vermelha, Sapé terá decreto mais rígido a partir deste domingo

A cidade de Sapé adotará medidas mais rígidas no combate ao coronavírus já a partir deste domingo (06). A decisão acontece após o município entrar na bandeira vermelha do Plano…

Covid-19: Saúde prevê 30 milhões de doses ainda este mês

O Ministério da Saúde informou neste sábado (6) que inicia, na próxima semana, a distribuição de 30 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 previstas para o mês de março.…