Por pbagora.com.br

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) notificou mais quatro casos suspeitos
de influenza A-H1N1, no Estado, entre o último sábado e esta segunda-feira
(3). Desde o surgimento do novo vírus, foram feitas 36 notificações, oito
delas confirmadas (com um óbito), 20 descartadas e outras oito continuam em
investigação. Com exceção de um bebê de 6 meses que veio do Rio de Janeiro
(RJ), os demais não tiveram contatos com casos suspeitos ou confirmados de
H1N1 e nem viajaram a áreas atingidas, mas conforme recomendação do
Ministério da Saúde, foram notificados por apresentar doença respiratória
aguda grave ou integrar o grupo com fatores de risco para complicações.

A gerente de Resposta Rápida da SES, Diana Pinto, informou que entre os
novos casos suspeitos está um professor de 35 anos, morador de Cabedelo,
internado em um hospital privado da Capital, com febre, tosse, dispnéia
(falta de ar) e pneumonia. “Um médico de 61 anos, que mora em João Pessoa,
também foi notificado como caso suspeito, porque apresentou síndrome gripal
(febre, tosse, calafrios e mialgia) e é hipertenso, integrando o grupo de
risco. Ele não quis se submeter ao isolamento hospitalar, como recomenda o
Ministério da Saúde e a SES”, disse.

O terceiro desses quatro casos recentes é de um pedreiro de 59 anos, também
de João Pessoa, que teve sintoma gripal e dispnéia. Ele chegou cianótico
(roxo) ao Hospital Universitário Lauro Wanderley.

O último caso notificado ao Ministério da Saúde pela SES foi de um bebê de
seis meses, residente no Rio de Janeiro, que apresentou bronquiolite. A
família do bebê é de Livramento e ele foi internado inicialmente no Hospital
de Trauma e transferido para o Hospital Infantil Arlinda Marques. O bebê não
teve febre, mas tem uma doença respiratória aguda grave e, por isso, está
sendo acompanhado.

Além desses quatro casos, estão sendo acompanhados mais quatro pacientes:
uma dona-de-casa de 74 anos, que mora em Santa Rita; uma criança de 6 anos,
residente em Campina Grande; um estivador de 49 anos e uma estudante de 18
anos, moradores de João Pessoa.

*Estrutura* – Diana Pinto informou que a SES vai promover mais um ciclo de
palestras com médicos do interior do Estado, esta semana, para discutir o
manejo e identificação de pessoas com doença respiratória aguda grave e que
tenham fatores de risco (crianças menores de 2 anos, idosos com mais de 60,
pessoas com doenças crônicas, obesos, imunodeprimidos, grávidas e outros).

Ainda esta semana, a SES manterá contato com os hospitais regionais de
Sousa, Guarabira, Monteiro, Patos e Cajazeiras, para discutir a
possibilidade de referenciá-los para o tratamento de doentes. Atualmente, a
Paraíba conta com dois hospitais de referência (os HUs de João Pessoa e
Campina Grande), além de leitos de suporte em hospitais públicos e privados
da Capital e de Campina.
 

Da Redação

Notícias relacionadas

PB inicia a Campanha de vacinação contra Influenza: “A gripe mata”

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) deu início, nesta segunda-feira (12), à vacinação contra Influenza na Paraíba. Na ocasião, foram vacinadas seis representantes dos grupos prioritários da primeira fase.…

CMJP abrigará centro de testagem para Covid-19 a partir desta terça-feira

  A Câmara Municipal de João Pessoa vai abrigar um centro de testagem para Covid-19 a partir desta terça-feira (13). A estrutura disponibilizada pela Secretaria Municipal de Saúde vai oferecer…