A Secretaria de Estado da Saúde (SES) recebeu da Energisa, nesta quarta-feira (15) pela manhã, 690 máscaras hospitalares N95 que serão destinadas para profissionais de saúde, principalmente dos serviços que estão sendo abertos para o combate do coronavírus. Além da empresa de energia elétrica, a SES tem recebido doações de equipamentos, insumos e serviços de várias empresas, instituições e de pessoas físicas, com o objetivo de ajudar no combate à Covid-19.

“Isso é uma prova do comprometimento social dos segmentos econômicos e de toda população. Estamos todos unidos, no sentido de vencer essa batalha contra o coronavírus”, disse o secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros.

O secretário destacou que as máscaras doadas pela Energisa serão utilizadas por profissionais que atuam na UTI. “Elas são apropriadas para anestesistas que vão entubar o paciente; para os médicos, da área vermelha; os fisioterapeutas e enfermeiros que vão aspirar o doente. Ou seja, os profissionais que se submetem a uma carga viral extensa e podem ser contaminados”, frisou.

Para o coordenador de saúde e segurança da Energisa, Heitor Galdino, neste momento, o sentimento é de colaborar com a causa. “A ocasião pede cooperação com o trabalho da Secretaria e dos profissionais de saúde e é o que a empresa está fazendo, contribuindo para as melhores condições de trabalho, diminuindo o risco de contaminação”, falou.

Desde que a SES vem travando esta luta, junto a todos os estados brasileiros, vem recebendo doações. O Ministério Público, por meio do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado – Gaeco, doou 10 ventiladores pulmonares; o Núcleo de Tecnologias em Saúde, da UEPB, doou 13 mil protetores faciais, destinados a Rede Hospitalar e Gerências Regionais; o Sindálcool doou 34 mil 460 litros de álcool a 70% , também para a Rede Hospitalar e Gerências Regionais e a Caranguejo fez a doação de 400 litros de álcool a 70%, enviados para a Polícia Militar.

A UEPB doou ainda, junto com uma costura voluntária, 130 capotes (aventais) para a UPA de Princesa Isabel e o Hospital Regional de Piancó; 102 unidades de máscaras em tecido foram doadas pela costura voluntária de Ester também para a UPA de Princesa Isabel; a Diocese de Patos doou ao Hospital Infantil Noaldo Leite, 500 máscaras cirúrgicas e o Engarrafamento Coroa doou 32 caixas de álcool a 70% ao Hospital Infantil Noaldo Leite.

O Hospital Distrital de Itaporanga recebeu várias doações: a Primeira Igreja Batista doou 20 protetores faciais; 50 máscaras cirúrgicas foram doadas pelo cirurgião dentista Jadson Gregório; o cirurgião dentista, Kaíque Morais, doou 50 máscaras cirúrgicas mais 01 caixa de luvas e mais 30 máscaras cirúrgicas foram doadas pelo cirurgião dentista, Luciano Pires. A pediatra da unidade, Emanuele Claudino, doou 30 máscaras cirúrgicas e a Empresa Assiste Cell doou 200 máscaras de TNT.

Para a Maternidade Peregrino Filho, de Patos, foram doadas 36 caixas de álcool a 70% pelo Engarrafamento Coroa; 1000 unidades de máscara cirúrgica, pela Diocese de Patos e 12 unidades de protetor facial foram doadas pelo Dr. Umberto Jouberth. Ainda foram doados 15 mil álccol gel a 70%  pela  Ambev para a Rede Hospitalar do estado.

Além das doações de insumos, ainda há a oferta de serviços voluntários. A Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda (FCA) e as demais empresas apoiadoras da ação de manutenção emergencial de respiradores para enfrentamento da pandemia por Coronavírus, oferecem aos hospitais e clínicas a oportunidade para manutenção de seus ventiladores que se encontram sem condições de uso por falhas operacionais.

“Os técnicos da Engenharia Clínica, da SES, estão viajando e visitando as unidades de saúde para recolher os ventiladores pulmonares quebrados para poder enviar para o conserto”, disse a engenheira biomédica, da SES, Juliana Coelho.

No Hospital de Trauma de Campina Grande, há um ponto de recolhimento de ventiladores pulmonares de hospitais da Região de Campina. Eles são consertados e só retornam para os municípios depois que passar a pandemia. O conserto é proporcionado pelo grupo “S.O.S. Respiradores Campina Grande”, formado por cerca de 120 pessoas, entre elas, empresários. O objetivo é arrecadar dinheiro para consertar os ventiladores, além de ajudar na aquisição de equipamentos e insumos.

PB Agora

Deixe seu Comentário