O pontapé inicial para implantação do programa de humanização na rede hospitalar será dado pelo Governo do Estado nesta terça-feira, 20, às 17h00 quando técnicos da Secretaria de Estado da Saúde (SES) estarão apresentando a proposta de trabalho ao corpo dirigente do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, na Capital. O hospital foi selecionado para sediar a primeira etapa do projeto, que será extensivo aos hospitais regionais de Patos, Sousa e Cajazeiras, além do novo Hospital de Trauma de Campina Grande, ambos pertencentes à Rede Estadual de Emergência.

O programa estadual de humanização é uma arrojada iniciativa que vai humanizar a assistência prestada à população usuária da rede pública hospitalar da Paraíba. De acordo com o Secretário José Maria de França, a meta é humanizar o atendimento em todos esses hospitais até o final, de modo a aperfeiçoar a gestão e melhorar o atendimento à população usuária desses serviços. “Aliado ao trabalho de reestruturação que a maior referência hospitalar da rede pública de saúde da Paraíba deu inicio, estaremos mudando seu conceito de acolhimento, na perspectiva de propiciar um melhor atendimento à população”, revela.

Para a médica Lourdes Fernandes de Lima, nova Chefe do Núcleo de Humanização do Estado, o SUS prevê assistência à saúde fundamentada nas seguintes diretrizes – universalidade, igualdade e eqüidade. Prevê, ainda, a hierarquização do atendimento respeitando os princípios de referência e contra-referência nos níveis primário, secundário e terciário.

“No entanto, o retrato do atendimento de emergência e urgência na maioria dos hospitais públicos da Paraíba tem como característica principal a ineficiência, resultando num atendimento de baixa qualidade, longo tempo de espera e acúmulo de pacientes nos corredores e macas”, lembra a médica ao esclarecer que “esses fatos decorrem da desorganização do sistema de referência e contra-referência onde os atendimentos de baixa e média complexidade são desviados das unidades básicas de saúde para as unidades hospitalares sobrecarregando essas últimas”, pontua.

O programa de humanização quer corrigir problemas e distorções existentes na rede hospitalar administrada pelo Governo do Estado. “Começaremos pelo Trauma onde temos o desafio de resgatar seu perfil de atendimento, readequando-o a nova proposta contida na rede de emergência”, informa Lourdes Fernandes de Lima, Chefe do Núcleo de Humanização do Estado.

Para melhorar a procura espontânea será adotado o sistema de Acolhimento com Avaliação e Classificação de Risco, em conformidade com a política do Ministério da Saúde.

Um sistema de triagem por classificação de cores está entre as propostas contidas no projeto desenvolvido pela SES.
 

 

Assessoria

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

CG realiza dia D de vacinação do sarampo neste sábado; veja locais

Neste sábado, 19, acontece em todo o país o dia D da campanha de vacinação do sarampo que busca proteger as crianças até 4 anos da doença. Em Campina Grande…

Secretaria de Saúde da PB garante que não forneceu medicamentos vencidos

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), forneceu em 2019 mais de R$ 100 milhões em medicamentos de alto custo à população e, ainda…