Por pbagora.com.br

2020 chegou ao fim com gostinho de lição de casa. Ninguém imaginou, um dia, viver uma pandemia que parece ter sido tirada das telas de ficção: cidades paradas, ruas vazias, encontros e planos cancelados, abraços adiados. De repente, trabalhar em casa, aderir a ferramentas digitais para reuniões e comemorações foi obrigatório. Primeiro o impacto, depois a aceitação e, por fim, o aprendizado. Segundo o psicólogo Lucílvio Silva, não foi fácil, mas com certeza, nos fortaleceu e fez com que a gente visse as coisas de outro jeito.

“Pensar metas não é simplesmente pensar o futuro e o que esperamos alcançar lá na frente. É aprofundar questões importantes do que se vive hoje, e do como lidamos com todos os desafios internos e externos, para alcançarmos o que desejamos e necessitamos”, frisou o psicólogo Lucílvio Silva.

Ainda segundo o especialista, o início de um novo ano nos faz olhar para a frente, traz esperança e força para buscarmos o que almejamos. “É hora de olhar para frente. Precisamos reavivar nossas esperanças, principalmente, em tempos tão incertos e ameaçadores como estes que vivemos em pandemia. Precisamos reanimar nossa busca, lembrando, mais do que nunca, que nossas ações interferem diretamente no coletivo humano e ambiental”.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: “Janeiro Branco” é dedicado àquelas pessoas com algum tipo de transtorno psicológico, eu e milhões temos e somos “esquecidos”

A mídia se cala. A população não sabe, mas é preciso tocar na ferida. Estamos no “Janeiro Branco”, mês dedicado àquelas pessoas que têm algum tipo de transtorno psicológico. Seja…