A Paraíba o tempo todo  |

Opinião: Flexibilizar novamente? Com a variante Delta aí parece ideia de papa-defunto

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Como assim, flexibilizar?!

É verdade que as autoridades paraibanas pensam em flexibilizar ainda mais as medidas preventivas contra o coronavírus? Estão malucas?

Afrouxar as medidas com a variante Delta chegando com tudo parece mais coisa de maluco, ou ideia de papa-defunto.

Sabemos que a pressão do setor econômico – que pensa muito mais em lucros do que em vidas – é muito grande, também sobre as autoridades locais. Mas elas têm que segurar o taco, por uma questão de dever de promover e proteger a saúde dos cidadãos.

Atentem para o perigo: a números desta quarta-feira (1º de setembro) os casos confirmados da tal variante Delta cresceram 86% no Brasil, apenas em uma semana. E a Secretaria de Saúde da Paraíba confirmou mais de 25 casos registrados em comunidade.

Gente, estamos falando de uma variante que, segundo dados oficiais, se espalha muito mais rápido, tem maior probabilidade de infectar vacinados e pode desencadear doenças mais graves nos não vacinados em comparação com todas as outras variantes de coronavírus conhecidas. Também tende a romper com mais facilidade as proteções oferecidas pelos imunizantes.

A variante Delta do coronavírus surgiu na Índia e já foi registrada em mais de 120 países preocupando autoridades de todo o mundo. A cepa é altamente transmissível e levou a uma explosão de mortes em nações como Indonésia e Tailândia.

Aí aqui querem flexibilizar?

Nesta primeira quarta-feira de setembro ouvi em rede nacional de rádio a entrevista de uma infectologista dizendo que um dos fatores que mais têm contribuído para a permanência do coronavírus entre nós é justamente a tal flexibilização. Pelo motivo mais óbvio possível: se você relaxa nas medidas preventivas contra o coronavírus, você abre flancos para o ataque inimigo.

É nó

Vamos ver como e que o governador João Azevedo vai acomodar na sua chapa, satisfatoriamente pra todos, um representante MDB, e os deputados Efraim Filho e Aguinaldo Ribeiro.

Efraim diz que não abre da sua pretensão de disputar o Senado nem pra um trem carregado de pólvora com um doido em cima fumando charuto; Aguinaldo também quer o seu quinhão; e o MDB também tá chiando de falta de espaço compatível com a sua importância.

Tem que ter um por articulador aí para administrar a situação.

Wellington Farias

PBAgora

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Total
      7
      Compartilhe