Por pbagora.com.br

Em tempo de enfrentamento ao novo coronavírus, o Núcleo de Tecnologias Estratégicas em Saúde (Nutes) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), desenvolveu um software que ajuda os profissionais de saúde que estão na linha de frente de combate à Covid-19, a catalogarem e armazenarem informações detalhadas do vírus, que já infectou milhares de pessoas na Paraíba.

Trata-se de um programa de computador batizado de e-COVID: Assistência em Infectologia, criado sob o número BR 512020000835-6. Diante da relevância do programa desenvolvido com a pandemia em ascensão na Paraíba, a Agência de Inovação Tecnológica (Inovatec) da UEPB já solicitou o registro de patente do software o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

O programa foi desenvolvido pelos pesquisadores e programadores do Nutes, Paulo Eduardo e Silva Barbosa, Priscilla Karen de Oliveira Sá, Eujessika Katielly Rodrigues Silva, Douglas Rafael Oliveira dos Santos, Caio César Barbosa Lucena, Adalcino Júnior Araújo Tavares, Lucas Cosmo Rocha, Fábio Dantas Guimarães e Eder Rodrigues Araújo, em março, quando a Organização Nacional de Saúde (OMS) declarou a Covid-19 como uma pandemia.

A ferramenta já está em operacionalização em vários hospitais de Campina Grande, a exemplo do Hospital João XVIII, Hospital Pedro I, Clínica Santa Clara e, em breve, estará funcionando no Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes e no Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC). Paulo Eduardo disse que o programa surgiu no Nutes a partir de uma demanda de infectologistas do Estado que estão atuando junto à pacientes contaminados pelo novo coronavírus. Ele observou que o software consiste em uma ferramenta que está sendo usada apenas entre profissionais de saúde.

O software acompanha toda a literatura da Covid, evolução da doença, reação e sintomas do paciente que contraíram o vírus. “É uma ferramenta que ajuda a formar um banco de dados sobre a Covid, mas também ajuda na interação dos profissionais, porque o infectologista pode ajudar o profissional da ponta, que são os médicos e enfermeiros, fisioterapeutas e outros profissionais”, frisou Paulo.

Ao explicar detalhes de funcionamento do programa, Paulo enfatizou que uma base de dados está sendo montada para colher e armazenar as informações relativas à Covid-19. Para ter acesso ao programa, os interessados só precisam entrar em contato com o Nutes e solicitar a disposição da plataforma. Paulo Eduardo ressaltou que secretarias de saúde de outros estados já manifestaram interesse na ferramenta.

A Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia da UEPB vem trabalhando junto aos pesquisadores da Instituição no sentido de desenvolver a cultura da proteção das tecnologias desenvolvidas na Universidade, o que vai contribuir para a valorização do produto final. Os pesquisadores interessados em informações sobre registro de tecnologias desenvolvidas pela Instituição podem manter contato com o setor pelo e-mail [email protected]

Redação com assessoria

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Brasil chega a 159 mil mortos por Covid; média móvel de óbitos volta a subir

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h desta…

Nova variação do coronavírus pode ter elevado número de casos na Europa

Cientistas afirmam ter identificado nova variante do coronavírus na Europa Pesquisa, que ainda não foi publicada em revista científica, aponta que a mutação do Sars-CoV-2 surgiu no início do verão…