Os médicos do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena (HETSHL), em João Pessoa e do Hospital Regional de Mamanguape decidiram permanecer nos postos que ocupam até o dia 3 de janeiro. Eles estão com contratos celetistas encerrados desde ontem, após o término do vínculo com o antigo regime de gestão pactuada com organização social.

Conforme o sindicato, a permanência até o dia 3 se dá “para que a sociedade paraibana não seja vítima dessa situação”.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ministério da Saúde descarta suspeita de caso de coronavírus no Brasil

O Ministério da Saúde disse hoje (23) que já descartou a suspeita de casos de coronavírus em cinco unidades da federação. Segundo a pasta, as notificações à rede Centro de…

“Agradeço o acolhimento” disse mãe do 1º bebê a nascer após a reabertura do Hospital Materno-Infantil, em Bayeux

O Hospital Materno-Infantil foi reaberto as 00h do último sábado (18), com estrutura e equipamentos necessários para receber todas as mulheres gestantes do município. E, na manhã deste domingo (19),…