Por pbagora.com.br

Entrou em vigor nesta quinta-feira (3), uma lei que assegura a permanência de acompanhantes a pacientes com Transtorno do Espectro Autista (TEA), diagnosticados com Covid-19, em hospitais da Paraíba. A nova lei foi publicada no Diário Oficial do Estado nesta quinta-feira (3).

A proposta, de autoria do deputado Tovar Correia Lima (PSDB), havia sido vetada pelo Executivo, mas teve o veto derrubado na última terça-feira (1º).

De acordo com a lei, o acompanhante deverá, no ato de admissão do paciente, se comprometer com a utilização de equipamentos de proteção individual, que visam evitar a transmissão de doenças infectocontagiosas. O acompanhamento deverá, preferencialmente, ser realizado pelo familiar ou responsável do paciente, e na sua impossibilidade, por pessoa capacitada para lidar com o TEA.

A lei garante ainda que a Unidade de Saúde deve se responsabilizar por providenciar as condições adequadas para permanência do acompanhante que deve ter entrada devidamente registrada pela Unidade de Saúde, sendo obrigatório o uso de crachá ou outro meio de identificação específico.

O acompanhante deverá ainda firmar termo de responsabilidade que o informe das penalidades decorrentes de comportamento que venha a obstruir ou dificultar procedimentos considerados adequados ou necessários pela equipe médica.

G1

Notícias relacionadas

Passageiros do Castro Pinto serão testados a partir de quinta

A Prefeitura de João Pessoa, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), vai realizar testes para diagnóstico da Covid-19 em todos os passageiros que desembarcarem no Aeroporto Castro Pinto,…

Secretário diz que Brasil está na 3ª onda da covid e lembra “pior cenário” da pandemia vivenciado pela PB

Para Geraldo Medeiros, secretário de Saúde da Paraíba, o Brasil vive uma 3ª onda da covid-19. Ele argumenta que, no resto do mundo, houve um declínio considerável na curva epidemiológica,…