A Paraíba o tempo todo  |

João Pessoa recebe Encontro Nacional em prol da reconquista das altas cobertura vacinais

aNa próxima quarta-feira (3), João Pessoa (PB), será sede do Encontro de Mobilização do projeto Pela Reconquista das Altas Coberturas Vacinais (PRCV). O evento acontecerá na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), das 8h às 17h, e reunirá representantes de diferentes esferas e órgãos de governo, gestores, profissionais e conselhos de saúde, universidades, movimentos sociais, entre outros atores da sociedade civil. O objetivo é criar e fortalecer redes locais de comunicação e educação, visando apoiar a implementação das ações de enfrentamento dos problemas e riscos que as baixas coberturas vacinais estão provocando para a saúde pública.

A iniciativa é coordenada pelo Programa Nacional de Imunizações, vinculada à Secretaria de Vigilância em Saúde (PNI/DEIDT/SVS), pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Bio-Manguinhos/Fiocruz) e pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

Serão avaliadas as ações realizadas na primeira fase do projeto, ocorrida entre novembro de 2021 e junho de 2022, quando teve início a elaboração de Planos Municipais Pela Reconquista das Altas Coberturas Vacinais em 25 municípios do estado (1ª e 14ª Regionais de Saúde), envolvendo coordenadores estaduais e municipais de imunizações, da atenção primária e profissionais das salas de vacinas. Agora, na Fase 2, o foco é o monitoramento e aprimoramento dos planos.

Reconquista das altas coberturas vacinais

Desde 2013, o cenário de baixas nas coberturas vacinais no país, agravado pela pandemia de Covid-19, tem aberto condições para reintrodução de doenças imunopreveníveis, como o sarampo, até então eliminadas no país. Diante disso, é necessário adotar ações estratégicas para o fortalecimento de uma ampla rede de colaboração interinstitucional em torno da melhoria da cobertura vacinal nacional. O projeto Pela Reconquista das Altas Coberturas Vacinais (PRCV) mobiliza diretamente quem atua na ponta do sistema e serviços de saúde e nas mais diversas instâncias de participação social, dialogando com estes atores e tornando-os protagonistas da mudança desse quadro grave para a saúde pública.

Para o Secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, é fundamental unir esforços e pensar em ações estratégicas para aumento da cobertura vacinal. “As baixas nas coberturas vacinais têm um reflexo na saúde pública. Apesar dos esforços do Ministério da Saúde em garantir que as vacinas cheguem em todo território nacional, não estamos conseguindo atingir bons índices de cobertura. Podemos rever as estratégias, mas o que não podemos aceitar é o retorno ao país de doenças que são podem ser evitadas pela vacina”, destaca.

Um dos coordenadores gerais da iniciativa, o assessor científico sênior de Bio-Manguinhos/Fiocruz, Akira Homma, também aborda a importância do evento. Ele diz que é fundamental fortalecer a colaboração entre instituições dos setores público e privado, nacionais e internacionais, para sair desta crise. “Só vamos reconquistar as metas de vacinação ideais conhecendo a realidade e as dificuldades na ponta, nas Unidades Básicas de Saúde, nas comunidades, trabalhando junto com os representantes e líderes locais. É agindo no território, diretamente, que podemos desenvolver estratégias mais eficazes para reverter essa situação extremamente preocupante”.

Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde da Paraíba, de janeiro a maio de 2022, nenhuma das vacinas para crianças menores de 1 ano e de 1 ano de idade atingiu a meta de cobertura adequada. Homma comenta a situação: “Os índices de vacinação estão despencando. As coberturas vacinais da poliomielite, por exemplo, passaram de 94,9%, em 2019, para 62,47%, em 2021, no estado. Temos vacinas seguras e eficazes que podem proteger a população de doenças graves como esta, além de sarampo, caxumba, rubéola, rotavírus, tuberculose, meningite, entre outras. Não podemos permitir que crianças e pessoas de todas as idades sofram, tenham sequelas ou mesmo morram por não estarem vacinadas”, afirma.

Programação

  • 7h30 – Coletiva de imprensa
  • 8h – Credenciamento
  • 9h – Abertura
  • 9h30-10h45 – Apresentação e avaliação dos resultados das ações do PRCV
  • 10h45-11h – Intervalo
  • 11h – Estratégias de articulação dos municípios da área de abrangência do Projeto, visando engajamento nas Oficinas de Planejamento e Avaliação das ações do PRCV
  • 12h – Almoço
  • 13h – Apresentação de propostas de adesão ao PRCV de alguns atores sociais estratégicos para estruturação das redes do projeto
  • 17h – Encerramento

Da Redação com Assessoria

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe