Por pbagora.com.br

Em tempos de pandemia dos novo coronavírus, as internações por síndrome respiratória aumentam 43% na Paraíba. O Estado tem convivido com uma média de 100 novos casos confirmados do novo coronavírus desde o fim de abril. O reflexo do avanço da Covid-19 também pode ser visto no aumento gradual de internações de pacientes notificados por Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag). O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, afirmou que estado passa por um momento de pico dos casos.

Embora o cenário seja de estado crítico e de proximidade com um colapso dos leitos hospitalares para tratamento de pacientes infectados pelo coronavírus, os níveis de isolamento social na Paraíba tem oscilado para baixo, chegando a 41% no fim de abril.

O Secretário de Saúde, Geraldo Medeiros, ressaltou que o aumento da ocupação dos leitos exclusivos para Covid-19 tem relação direta com a promoção de aglomerações por parte, principalmente dos moradores de João Pessoa. Ele explicou que os números de um dia refletem o comportamento da população 15 dias atrás.

“Essa ocupação célere dos leitos é em decorrência de que há 15 dias a população de João Pessoa ocupou a orla e produziu aglomeração e se contaminou. É um momento preocupante, já havíamos alertado a população na semana passada na Grande João Pessoa da probabilidade de um colapso na rede pública estadual, essa probabilidade ela existe”, disse.

Outro dado mostra que o número de pessoas internadas por síndromes gripais graves no período de 1° de março a 4 de abril passou de 42 em 2019 para 359 em 2020 na Paraíba, um crescimento de mais de 754% no comparativo entre os dois anos. Para o Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), o aumento significativo de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) tem relação direta com a circulação do coronavírus (Sars-Cov-2).

São critérios para notificar o caso de Srag se o paciente apresentar desconforto respiratório, pressão persistente no tórax, saturação de oxigênio menor que 95% em ar ambiente, ou coloração azulada dos lábios ou rosto. Em crianças, além dos itens anteriores, são considerados também os batimentos de asa de nariz, cianose, tiragem intercostal, desidratação e inapetência.

Cada caso de Srag, após ser notificado, passa a ser investigado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) para coronavírus, sendo automaticamente enquadrado com um caso suspeito de Covid-19. Além de notificar os casos de Srag, os médicos também devem informar os casos de Síndrome Gripal, mesmo leves, que podem ser enquadrados como suspeitos para o novo coronavírus.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Covid-19: Brasil chega a 5,38 milhões de casos, com 156.903 óbitos e 89% de recuperados

Segundo o último boletim do Ministério da Saúde, divulgado hoje (24), o Brasil acumula 5.380.635 casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Nas últimas 24 horas foram 26.979 novos casos.…

Anvisa autoriza importação de seis milhões de doses da CoronaVac

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta sexta-feira (23) a importação de seis milhões de doses da CoronaVac, vacina produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o…