No combate ao aegypti, o município de Campina Grande reduziu em quase 3,% o índice de infestação do mosquito.

O primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) realizado na cidade, no ano de 2020, apontou uma queda de aproximadamente 2,9% na incidência de focos do mosquito identificados na cidade.

O estudo foi realizado entre os dias 6 e 10 de janeiro deste ano.
Em 2020 foram registrados focos em 280 espaços vistoriados, que corresponde a aproximadamente 3,7% da quantidade total.

No levantamento anterior, realizado em outubro de 2019, haviam sido identificados 510 focos do mosquito, cerca de 6,6% dos locais inspecionados. Nas duas avaliações, foram visitados 7.729 localidades, entre residências e terrenos.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o novo número aponta que o risco de proliferação das doenças transmitidas pelo Aedes passou de alto para médio.

A pesquisa indicou também que a maior parte dos focos foi localizada em reservatórios que ficam no nível do chão, como baldes, pratos, cisternas e caixas d’água no solo.

Os bairros com menor índice foram o Catolé e o Itararé. Estação Velha, Sandra Cavalcante, Tambor e Vila Cabral também apresentaram um baixo nível de infestação.
Bela Vista, Centenário, José Pinheiro, Mirante, Pedregal, Santo Antônio e Bairro Universitário são os bairros com os maiores índices.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Agradeço o acolhimento” disse mãe do 1º bebê a nascer após a reabertura do Hospital Materno-Infantil, em Bayeux

O Hospital Materno-Infantil foi reaberto as 00h do último sábado (18), com estrutura e equipamentos necessários para receber todas as mulheres gestantes do município. E, na manhã deste domingo (19),…

Ministério da Saúde descarta suspeita de caso de coronavírus no Brasil

O Ministério da Saúde disse hoje (23) que já descartou a suspeita de casos de coronavírus em cinco unidades da federação. Segundo a pasta, as notificações à rede Centro de…