Por pbagora.com.br

No combate ao aegypti, o município de Campina Grande reduziu em quase 3,% o índice de infestação do mosquito.

O primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) realizado na cidade, no ano de 2020, apontou uma queda de aproximadamente 2,9% na incidência de focos do mosquito identificados na cidade.

O estudo foi realizado entre os dias 6 e 10 de janeiro deste ano.
Em 2020 foram registrados focos em 280 espaços vistoriados, que corresponde a aproximadamente 3,7% da quantidade total.

No levantamento anterior, realizado em outubro de 2019, haviam sido identificados 510 focos do mosquito, cerca de 6,6% dos locais inspecionados. Nas duas avaliações, foram visitados 7.729 localidades, entre residências e terrenos.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o novo número aponta que o risco de proliferação das doenças transmitidas pelo Aedes passou de alto para médio.

A pesquisa indicou também que a maior parte dos focos foi localizada em reservatórios que ficam no nível do chão, como baldes, pratos, cisternas e caixas d’água no solo.

Os bairros com menor índice foram o Catolé e o Itararé. Estação Velha, Sandra Cavalcante, Tambor e Vila Cabral também apresentaram um baixo nível de infestação.
Bela Vista, Centenário, José Pinheiro, Mirante, Pedregal, Santo Antônio e Bairro Universitário são os bairros com os maiores índices.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Agências do INSS da Paraíba são reabertas, mas não há previsão de retorno das perícias

As agências do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) voltaram a atender presencialmente na Paraíba, mas sem a realização de perícia médica. As agências que foram abertas estão sendo vistoriadas…

Brasil tem mais de 135 mil mortes por Covid-19

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h desta…