Por pbagora.com.br

Nessa sexta-feira (19), o Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW-UFPB/Ebserh) deu alta médica ao 29º paciente oriundo de Manaus-AM que veio transferido para a Paraíba em busca de tratamento contra a covid-19. Entre janeiro e fevereiro, a instituição acolheu 32 amazonenses e não registrou nenhum óbito relacionado a esse público.

Dos 32 pacientes do Amazonas, apenas três continuam recebendo assistência na unidade de saúde, sendo: um na enfermaria da Ala Covid-19; um na enfermaria da Clínica Médica; e um na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Todo o restante se recuperou após tratamento no Lauro Wanderley. Somente nesta semana, o Hospital Universitário registrou 12 altas médicas de usuários amazonenses.

“Desde o início da pandemia, o Hospital Universitário Lauro Wanderley tem apresentado crescimento muito grande na experiência e na capacitação. O esforço de toda a equipe, a estrutura que foi montada, a articulação entre os diversos níveis de profissionais, sejam do próprio hospital, sejam profissionais externos, como das secretarias de Saúde do Estado e do Município, foi o que nos permitiu receber esse grupo de pacientes de Manaus, em duas etapas”, afirma o gerente de Atenção à Saúde do HULW, José Eymard Filho.

“A expertise acumulada, o entrosamento, a capacitação, a estrutura, o esforço, a atenção e o cuidado desses profissionais garantiram um resultado extremamente satisfatório, com a alta, com a recuperação, com saúde e plena funcionalidade de todos os pacientes até o momento, exceto três. Com esforço, dedicação e tempo, se Deus quiser, eles também irão retornar para suas famílias completamente saudáveis e curados”, acredita.

CURA E GRATIDÃO 

O empresário manauara Rodolfo Henrique Marinho recebeu alta médica do Lauro Wanderley por volta das 15h desta sexta-feira. Ele disse que sempre será grato ao povo da Paraíba por ter recebido o povo do Amazonas, especialmente da forma como todos foram acolhidos.

O sentimento de gratidão também foi manifestado pelo paciente Marcelo Leal, que teve alta médica do HULW na quinta-feira (18). Ele chegou a ficar internado durante vários dias na UTI, onde teve problemas no coração, nos pulmões e chegou a necessitar de hemodiálise. A sensação agora é de alívio.

“A luta foi grande, principalmente na UTI, onde fiquei bem mal. Agora, só tenho a agradecer, principalmente aqui à equipe. São profissionais altamente dedicados. Além de fazerem o seu serviço, fazem pelo próximo. O paraibano trata o próximo com amor”, disse.

Marcelo Leal chegou a João Pessoa em uma aeronave da Força Aérea Brasileira no dia 17 de janeiro. Já Rodolfo Marinho, no dia 7 de fevereiro. Ambos foram beneficiados por uma ação humanitária coordenada pelo Ministério da Saúde e que também envolveu o Ministério da Educação, por meio da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). A iniciativa federal tem como objetivo atender a alta demanda por internação em Manaus, que foi gerada pelo avanço da pandemia de covid-19. Em todo o País, mais de 200 pacientes foram transferidos para Hospitais Universitários vinculados à Ebserh.

Em nível local, a rede de apoio conta com o suporte da Prefeitura Municipal de João Pessoa e do Governo do Estado da Paraíba, além da Arquidiocese da Paraíba (que providencia a casa de acolhida onde os pacientes curados da covid-19 ficam abrigados até o retorno para o Amazonas). Dos 32 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) assistidos pelo HULW em decorrência de contaminação pelo coronavírus, dois chegaram à Paraíba por contra própria.

PB Agora

Notícias relacionadas

PB contribui com inquérito sobre cobertura vacinal em nascidos entre 2017 e 2018

Cerca de 900 crianças de João Pessoa nascidas em 2017 e 2018 estão sendo visitadas e farão parte de um levantamento para avaliar a cobertura vacinal nessa população. A pesquisa,…

PMJP começa a vacinar idosos de 75 a 79 anos na 2ª

A Prefeitura de João Pessoa começa a vacinar os idosos de 75 até 79 anos, contra a Covid-19, a partir da próxima semana. Para isso, 15 ginásios de escolas municipais…