O balanço de atividades do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), em Patos, relativo ao período do dia 1º a 30 de abril, no que diz respeito aos serviços Ambulatoriais e de Urgência e Emergência, traz um dado relevante. Nesse período, a unidade teve uma queda acumulada de um mês para o outro no total de atendimentos de 57%. Quando se comparam os dados em separado, a Urgência e Emergência foi o setor que registrou maior redução, com 41% a menos de atendimentos, enquanto o serviço ambulatorial teve um decréscimo de 25%.

Não por acaso, os dados são um reflexo das medidas de isolamento social que diminui a circulação de pessoas e, consequentemente, o número de acidentes. Em abril, o Complexo contabilizou 2.418 atendimentos, sendo 1.819 na Urgência e Emergência e 599 nos serviços ambulatoriais. No acumulado dos quatro primeiros meses do ano, o Complexo contabiliza 15.796 atendimentos, sendo 12.303 na Urgência e Emergência e 3.493 nos serviços ambulatoriais.

A diretora geral do Complexo, Liliane Sena, confirma que o decréscimo nos atendimentos, de fato, coincide com as medidas de isolamento social adotadas na Paraíba. “Nós atribuímos essa queda de mais de 50% no número de atendimentos gerais à diminuição da circulação de pessoas nas ruas e também nas estradas, já que somos referência para mais de 80 municípios da região”, destaca ela. Ainda segundo Liliane, já os casos de atendimentos de pacientes com algum desconforto respiratório tiveram um acréscimo, em função da pandemia de Covid-19, passando do terceiro lugar em ocorrências no mês de março, para o primeiro lugar, em abril.

Em relação aos dados de internamento, dos 2.418 casos de atendimento, seja no ambulatório ou na urgência e emergência, registrados em abril, 2001 pacientes não necessitaram de internação hospitalar e outros 417 permaneceram em internação. Grande polo receptor de pacientes de mais de 86 municípios da região do sertão paraibano e referência para urgências e emergências em casos de pequena e média complexidade, além de casos de Covid-19, o hospital, que integra a rede estadual de saúde, registrou como principais motivos de atendimento nos plantões de urgência e emergência, lesões oriundas de quedas, casos de hipertensão, acidentes de trânsito (a maior parte envolvendo motos), dores abdominais, de cabeça e no peito, além de casos de contusões diversas.

Os pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19 são atendidos em ambiente separado dos demais casos e vêm encaminhados pelos serviços de saúde municipais.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Viúva de Rômulo Gouveia, ex-deputada Eva é diagnosticada com a Covid-19

Viúva do deputado federal Rômulo Gouveia (in memoriam), a ex-deputada estadual Eva Gouveia (PSD) foi diagnosticada com o coronavírus. A ex-parlamentar apresentou sintomas leves, procurou um serviço de saúde e…

CG: com recorde de altas, mais de 1.300 pessoas estão recuperadas da covid-19

Uma boa notícia em tempos de coronavírus: nada menos que 15 pessoas, que estavam internadas em leitos para tratamento da Covid-19, no complexo do Hospital Municipal Pedro I, tiveram alta…